quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Acervo da Teologia

* Herman Bavinck (1854-1921) / Biografia & Obras


Bavinck foi, juntamente com Abraham Kuyper, um dos principais teólogos do reavivamento do neo-calvinismo iniciado há um século atrás na Igreja Reformada Holandesa e ainda representado na América do Norte pela Igreja Reformada Cristã. Treinado na Universidade de Leiden e no Seminário Teológico em Kampen, Bavinck serviu uma igreja em Franeker (1881–82) antes de se tornar professor de teologia sistemática, primeiro em Kampen (1882–1902) e então na Universidade Livre de Amsterdam (1902–20). Sua obra principal foi Gereformeerde Dogmatiek (Dogmáticas Reformada), em quatro volumes, primeiro publicados entre 1895 e 1901, e do qual somente o segundo volume foi traduzido para o inglês como The Doctrine of God (A Doutrina de Deus).

Em piedade e estilo de vida, Bavinck sempre permaneceu perto de suas origens separatistas, mas em sua obra acadêmica ele mostrou uma abertura e sensibilidade notável aos desenvolvimentos do século dezenove. Assim, ele escreveu muitos ensaios importantes sobre educação, ética (família, mulheres, guerra, etc.), e até mesmo sobre a nova disciplina da psicologia. Sua preocupação principal, contudo, era aplicar todos os recursos acadêmicos de sua própria era para uma renovação da tradição dogmática representada pela teologia escolástica reformada do século dezessete. 

Bavinck considerava a teologia como sendo o estudo sistemático do conhecimento de Deus, como Cristo revelou a respeito de Si mesmo e da criação em Sua Palavra, uma revelação feita para a igreja, como encapsulada em suas confissões credais e recebida em fé pelo teólogo individual. A orientação filosófica de Bavinck, como revelada em sua prolegômena, era mais realista, em contraste com a inclinação de Kuyper para o idealismo alemão, e incluía uma apreciação genuína do reavivamento neo-tomista contemporâneo entre os católicos. Ele algumas vezes falava de certas “idéias” encontradas em Deus e evidentes também na criação, na imagem e semelhança de Deus no homem, e até mesmo na predestinação. 

Todavia, ele sempre insistiu sobre a primazia da Escritura. Quase no fim de sua vida ele encorajou jovens estudantes a enumerar, à partir de uma perspectiva conservadora, os problemas difíceis levantados pelos recentes estudos bíblicos. Durante toda a sua vida ele também insistiu sobre a primazia do dom da graça de Deus na justificação do homem, rejeitando a fé em particular ou qualquer outro ato humano como precedendo ou invocando a graça de Deus. 

Bavinck influenciou profundamente muitos teólogos reformados alemães e americanos, embora a maioria das obras deles — por exemplo, a Teologia Sistemática de Louis Berkhof — mostram muito menos de sua ampla compreensão da história da teologia e de sua notável capacidade filosófica.

Herman Bavinck – O Teólogo da Palavra.


No ano em que se comemoram os 400 anos do nascimento de João Calvino e influencia de sua teologia na igreja atual, não poderíamos nos esquecer do aprendizado no Seminário Teológico sobre a vida e a obra de um dos maiores pensadores reformados que o mundo conheceu, Herman Bavinck , nascido na Holanda em 1854, sendo contemporâneo do também teólogo e Primeiro Ministro holandês, Abraão Kuyper. Sua tese de doutorado em teologia pela universidade de Leiden em 1880, foi sobre o conceito de estado segundo a teologia de Zwuingli. Bavinck alem de ensinar no Seminário Teológico de Kampen e na Universidade Livre de Amsterdam, se tornou conhecido internacionalmente através da publicação de 4 volumes da Reforma Dogmática, onde influenciou os grandes teólogos Luis Berkhof e Cornelios Van Til.

Antes de Bavinck formular sua teologia reformada, ele serviu como pastor da igreja cristã reformada em Francker durante um ano e meio, onde com sermões ortodoxos descobriu o poder transformador do evangelho na vida das pessoas. Em 1900, tornou-se editor do jornal “ De Bazuin”, onde com artigos bem estruturados fazia a defesa do cristianismo, sem medo de controvérsias. Ele disse sobre seu trabalho jornalístico, que quem deseja descanso e paz, não deve envolver-se na tensa e movimentada vida da imprensa.

Bavick foi um estudando brilhante, mais um homem humilde com sentimentos profundos de um coração adorador. Ele teve um impressionante conhecimento das modernas tendências filosóficas e religiosas do século 19, tornando-se um dos poucos teólogos reformados, cuja as obras ainda são debatidas e estudadas em pleno século 21. Porem, uma característica importante em sua vida, foi seu profundo amor ao Senhor, sua Palavra e sua Igreja. Estudantes da teologia de Bavinck, percebem que ele tinha grande aflição sobre as divisões e constantes lutas no seio da Igreja Cristã holandesa. Ele disse que um cristão que se isola dentro do circulo da sua própria congregação, não consegue compreender e nunca experimentou o poder de Deus em sua vida e a grandiosidade do Reino de Deus. Um cristão não poder ser restrito de coração e mente com respeito a igreja do Senhor. Bavinck advertiu contra os movimentos separatistas e sectários que afligem a Igreja. Ele não hesitou em iniciar um dialogo para mostrar aos opositores da fé cristã a verdade do evangelho com amor e sempre respeitoso, sendo eleito em 26 de abril de 1906, membro da Academia Real de Ciências, em reconhecimento de sua grande erudição teológica. Já em 1911, foi eleito senador, sendo reconhecido como um dos grandes apologistas cristão na sociedade holandesa.

A Influência de Bavinck.
A Influência de Bavinck foi alem das fronteiras da Holanda, chegando aos Estados Unidos com a publicação em inglês do resumo de sua Dogmática , Nossa fé Razoável, o que reflete seu caminho com o Senhor. Tendo sido amplamente utilizado em escolas evangélicas americanas. Em 1908, Bavinck fez sua segunda viajem para America, tendo realizado palestra no Seminário e Princeton, sobre a “ Filosofia do Apocalipse” , a convite de B.B.Warfield , o ultimo dos grandes teólogos de Princeton. Quem sofreu grande influencia com a teologia de Bavinck, tornando-se seu discípulo, foi o professor de teologia sistemática e presidente do Seminário Teológico Calvin , o Dr.Luis Berkhof, que popularizou o material extraído de Bavinck, para ser utilizado em seminários e escolas reformadas em todo mundo, e com publicações traduzido para o chinês, japonês, coreano, espanhol e português.

Teólogo Inspirado

Bavinck foi um grande estudioso das Escrituras Sagradas, ou como seus discípulos o chamavam : “ Ministro do Verbo Divino”, como um agente da poderosa e inspirada Palavra de Deus. Ele tinha plena consciência de que a Bíblia confronta o homem moderno com muitas perguntas e duvidas existências. Ele disse, que muitas vezes cristãos pensam que a Bíblia tinha caído do céu, lembrando que a fé na inspiração divina da Escritura, não nega o papel do ser humano em sua formação, com as diferenças de estilo entre os autores, com seus dons naturais e experiências de vida. A Escritura é um livro inspirado por Deus, para toda humanidade, em todas as suas classes sociais, para todas as gerações e nações, com uma linguagem simples, sem nunca envelhecer, permanecendo sempre jovem e fresca como a linguagem da vida eterna, declarou.

Sempre humilde, Bavinck foi um teólogo da Palavra. Em 1899, ele declarou em um discurso que um doutor em teologia, assim como os demais pastores e ovelhas, são servos da Igreja de Cristo. Seu trabalho consiste em pesquisar as Escrituras, defendendo a sua verdade , e formando homens que aspiram a tornar-se pastores e trabalhando para o aperfeiçoamento dos santos no corpo de Cristo. Bavinck, embora fosse conhecedor das tendências modernistas de seu tempo, não sucumbiu a tentação, abraçando calorosamente a posição histórica: A Sagrada Escritura é a fonte da Teologia. O Senhor falou! Este é o ponto de partida de todas as teologias.! Ele resistiu ferozmente a secularização da teologia. Para Bavinck, a teologia era a rainha das ciências, tendo nascido na fé da igreja de Cristo e no conhecimento de Deus como seu conteúdo. O temos do Senhor é o seu elemento fundamental. “Teologia é falar de Deus, por Deus e para Deus”. O estudo da teologia é um sagrado trabalho, um serviço pastoral na casa do Senhor uma consagração do coração e da mente, para a Gloria de Deus, teria declarado.

Pregador da Palavra

Bavinck confessou que o sermão era a parte mais importante do culto. A pregação da Palavra de Deus é a marca determinante da igreja. O pastor verdadeiro tem o dever de pregar a Palavra de Deus. Quando o púlpito quer reconquistar o seu poder, o pregador deve ser um estudante da Palavra, pesquisá-la em todas as suas riquezas e com profundidade na sua unidade e diversidade. Bavinck, tinha pouca paciência com pastores que não estudavam a Palavra e com sermões medíocres e vazios, sem autoridade do Espírito Santo, querendo levar os pecadores aos pés de Cristo. Para ele o pastor deve ser um caçador de tesouros. O pastor que se atreve a vir com um sermão sem uma preparação adequada e diligente, não tremeu perante a majestade da Palavra de Deus. Para Bavink as congregações não poderiam aceitar de seus pastoires, sermonete, historias da carochinha e anedotas, mais somente a genuína Palavra Bíblica. Baruch Há Shem!

Por: J. Van Engen
Fonte: Monergismo.com 
Pastor Sérgio Cunha Blog 















Acervo da Teologia

About Acervo da Teologia -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :