quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Portal Teologia & Missões

* Absolutismo / Definição


O que é Absolutismo:

Absolutismo é um regime político em que apenas uma pessoa exerce poderes absolutos, amplos poderes, onde só ele manda, geralmente um rei ou uma rainha. Absolutismo foi um período entre os séculos 16 e 18, e começou na Europa.
Através do absolutismo os monarcas tinham o poder para criar leis sem aprovação da sociedade e de criar impostos e tributos que financiassem seus projetos ou guerras. Muitas vezes, um Rei absoluto se envolvia em temas religiosos, chegando muitas vezes a controlar o clero.
Muitas vezes o absolutismo é confundido com uma doutrina conhecida como "Direito Divino dos Reis", que o poder e autoridade dos reis vinham diretamente de Deus. De igual forma, de acordo com essa doutrina, um rei só poderia ser destituído por Deus. Existe também um diferenciação entre absolutismo e despotismo, sendo que este último é quase como uma corrupção do absolutismo, onde o rei age sem nenhuma preocupação. 
Ao contrário do despotismo, o absolutismo possui uma sustentação teórica, e era um regime defendido por vários autores como Jean Bodin, Thomas Hobbes, Nicolau Maquiavel. Alguns desses autores acreditavam que um rei absoluto e soberano era também a vontade de Deus.
O absolutismo começou no final do período medieval, e o início da modernidade, e apareceu no momento de transição entre essas épocas, que também foi chamada de monarquia absolutista. Muitos filósofos desta época desenvolveram teorias sobre o regime, como Maquiavel, em “O Príncipe”, Thomas Hobbes em "O Leviatã” etc.
O absolutismo era um grande benefício para a classe burguesa que apoiava o Rei no poder. Desta forma, os comerciantes patrocinavam os projetos do Rei e como recompensa era beneficiados nos negócios do Estado.
Diversos países da Europa passaram pelo regime absolutista. A França foi governada pelo Rei Luís XIV, o mais célebre absolutista francês, conhecido como "Rei Sol", que ficou famoso pela sua célebre frase "o Estado sou eu", o Rei Henrique VIII, na Inglaterra, assim como a Rainha Elizabeth. Em Portugal, o poder conferido ao reis não era absoluto, por ser dividido com as cortes e outras entidades soberanas. No entanto, o poder conferido aos reis foi aumentando com o passar do tempo, o que se verificou no reinado do Rei João V. Na Espanha, o rei Fernando de Aragão casou com a Rainha Isabel de Castela, havendo então a unificação do reino espanhol. Esta unificação deu origem ao período de absolutismo na Espanha.
Com o surgimento do Iluminismo e com os ideais defendidos pela Revolução Francesa, o absolutismo chegou ao seu fim, foi substituído em muitos países pela República, ficando conhecido como "Antigo Regime". No entanto, antes da sua queda, e tendo em conta as muitas críticas que lhe eram apontadas, o absolutismo tentou uma espécie de reforma através do despotismo esclarecido.

Absolutismo e Mercantilismo

O modelo econômico mais famoso durante os regimes absolutistas era conhecido como mercantilismo. Este modelo era caracterizado por um Estado que tinha forte envolvimento em negócios financeiros. De acordo com o mercantilismo havia também a noção de que um acumular de riquezas contribuiria para a prosperidade do Estado, dando-lhe influência, poder e respeito perante as outras nações. O mercantilismo era conhecido por utilizar processos como o metalismo, industrialização, protecionismo alfandegário, pacto colonial e balança comercial favorável.
Fonte: 


Portal Teologia & Missões

About Portal Teologia & Missões -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :