"AO CONTRÁRIO DE MUITOS, NÃO NEGOCIAMOS A PALAVRA DE DEUS VISANDO A ALGUM LUCRO; ANTES, EM CRISTO FALAMOS DIANTE DE DEUS COM SINCERIDADE, COMO HOMENS ENVIADOS POR DEUS". 2 Coríntios 2. 17



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

* Kevin DeYoung / Biografia & Artigos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Kevin DeYoung (nascido em 1977) é um americano Christian Reformed Evangelical teólogo e autor. DeYoung é um pastor da Igreja Reformada da América e membro do The Gospel Coalition .
Kevin DeYoung nasceu em South Holland, Illinois e em grande parte cresceu em Jenison, Michigan , onde seus pais trabalhavam com rádio cristã. Ambos os avôs de DeYoung eram de reformadas holandesas fundos. DeYoung formou summa cum laude do Hope College em Michigan em 1999 e, em seguida, recebeu seu M.Div. pelo Seminário Teológico Gordon-Conwell em Massachusetts, em 2002. DeYoung primeiro a ser servido como pastor em Primeira Igreja Reformada em Orange City, Iowa e desde agosto de 2004, ele tem servido como pastor sênior da University Reformed Church em East Lansing, Michigan , perto da Michigan State University . Atua na equipe de executivos da RCA Integrity, um grupo de renovação dentro da Igreja Reformada da América. Ele e sua esposa, Trisha, têm três filhos.

Obras escritas 

  • Liberdade e Limites: A Primer Pastoral sobre o Papel da Mulher na Igreja (2006)
  • Por que nós não estamos Emergent: por dois caras que deveria ser (2008)
  • Por que amamos a Igreja: In Praise of Instituições e Religião Organizada (2009)
  • Basta fazer algo: Uma Abordagem Libertadora para descobrir a vontade de Deus (2009)
  • A Boa Nova que quase esqueceu: Redescobrindo o Evangelho em um século Catecismo 16 (2010)
  • Por que nossa Igreja tenha mudado para o ESV (2011)
  • Qual é a missão da Igreja ?: Making Sense da Justiça Social, Shalom, e da Grande Comissão (2011)
  • Não considerem um retorno: a antiga fé para um Novo Dia (Gospel Coalition The Gospel Coalition) (2011)
  • O Espírito Santo (The Gospel Coalition livretos) (2011)
  • The Hole in Our Santidade: preencher a lacuna entre a paixão Evangelho ea busca da Piedade (2012)
  • O Evangelho como Center: Renovando a nossa fé e reformar as práticas ministério (The Gospel Coalition) (2012)
  • Louco Busy: A (Felizmente) livro curto sobre um (Really) Problema Big (2013)
  • Atuando a Miracle: Obra de Deus e nossa, em o Mistério da Santificação (2013)
  • Pegar a Deus em Sua Palavra: Por que a Bíblia é cognoscível, necessária e suficiente, e o que isso significa para você e eu (abril de 2014)

    SUPER OCUPADO!    / LANÇAMENTO 2014

Todos nós já ouvimos ou dissemos isso. Estar muito ocupado parece ser algo frequente em nossas vidas.









Uma rápida olhada em nossa agenda já mostra como é difícil achar um equilíbrio entre não fazer nada e fazer tudo ao mesmo tempo.

É por isso que o premiado autor Kevin DeYoung trata desse problema (realmente) grande neste livro (misericordiosamente) pequeno. E ele não o faz com aqueles típicos conselho de dez passos para... ou oferecendo dicas sobre como gerenciar o tempo. O que temos neste livro são princípios bíblicos que nos levarão a entender a raiz do motivo de estarmos tão ocupados e nos oferecerão conselhos preciosos, práticos e breves que nos ajudarão a nos libertarmos de uma agenda opressora e super ocupada.



       LIVROS       



É possível um cristianismo sem igreja? Para vários movimentos evangélicos a resposta é "sim". Muitos entendem que não há espaço no mundo atual para essa organização milenar chamada igreja. E apontam que é a espiritualidade que deve ser nutrida e valorizada. Quanto menos regras e hierarquia melhor. Há outros para os quais a resposta é "não". Dentre esses, estão Kevin DeYoung  e Ted Kluck, que continuam creditando à igreja o espaço ideal para o povo de Deus ter a experiência comunitária, louvar, adorar e nutrir-se da Palavra. No momento em que a Igreja, em sua variedade de modelos, está no centro dos debates, os autores apresentam razões e motivações que comprovam quão distante está essa instituição de ter a falência decretada. Eles amam a igreja... 

... Amo minha igreja porque sei que por ela sou amado e aceito apesar dos meus defeitos. Lisanias Moura - Pastor da Igreja Batista do Morumbi 

... Eu amo a igreja porque Jesus Cristo ama a igreja, da qual Ele é a cabeça e noivo. Ele deu sua vida por amor a ela. Quem ama a Cristo não pode deixar de amar a igreja. Dr. Russell Shedd  

... Eu amo a igreja porque ela é o corpo vivo de Cristo na Terra. É ela que, neste mundo, entrega o amor de Deus à comunidade e, naturalmente, como todo organismo vivo está sujeito a enfermidades, todavia continua sendo a única instituição, juntamente com a família, a prevalecer, diante de reinos, sistemas, partidos, culturas e instituições deste mundo, a mais de 2000 anos. Cristo sim, igreja sim!" Carlito Paes - Pastor Sênior da PIB em São José dos Campos - SP. 

... Eu amo a igreja porque ela é o canal que o Espírito Santo usa para comunicar a cada indivíduo, família, cidades e nações a fé, a esperança, o amor e a vida, que está em Jesus Cristo. Pr. Jeremias Pereira - 8ª. Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte 

... Eu amo a igreja, primeiro porque Cristo a amou. Em segundo porque, quando olho do púlpito e enxergo as tantas vidas e famílias transformadas pela ação da igreja, chego a me emocionar com facilidade. Em terceiro, porque não consigo imaginar o mundo sem a presença da igreja. Quando imagino isso, enxergo um mundo triste pela ausência de Deus, pobre pela presença do Ser humano apenas e sem perspectiva de futuro, pois a eternidade não existiria para ele. Miguel Uchoa - Paróquia Anglicana Espírito Santo (PAES) 

... Eu amo a igreja porque é a única alternativa comunitária de Deus para um mundo adoecido. Rev. Alexandre Ximenes - Catedral da Trindade 

... Eu amo a igreja porque Ela é esperança para o mundo. Pr. Vagner Vaelatti - Igreja Batista Boas Novas 

... Eu amo a igreja porque, através dela, desde a minha infância, fui apresentado ao amor e soberania de Cristo. Muitos homens e mulheres foram usados por Deus para nutrirem meu coração com a Palavra de fé, ensinando-me os caminhos da oração e da comunhão com o Senhor. Ela também despertou em mim a sensibilidade às necessidades do outro, fazendo-me viver conectado na realidade que dependemos uns dos outros e todos do Senhor, refinando em meu interior a busca de uma vida coerente com o evangelho de Cristo. Sei que é composta por pessoas imperfeitas e falíveis, mas, assim como uma família, é o ambiente projetado por Deus para revelação de sua graça e misericórdia. Rodolfo Montosa - Pastor Igreja Presbiteriana de Londrina 

... Amar a igreja é concretizar o amor que sinto pelo Senhor Jesus! Foi isto o que o nosso Senhor tentou ensinar a Pedro, quando perguntou: Tu me amas? E afirmou: Apascente os meus cordeirinhos. Amar a Igreja é amar pessoas, aprender com elas e ser parte de uma família maior e mais intensa em relacionamentos do que as nossas relações consanguíneas de parecer exagero, mas é uma verdade que vai além da nossa comunidade local e que pude constatar quando fugia de uma insurreição religiosa em Bangladesh. Por onde houvesse um cristão, expressão viva da Igreja de Cristo, encontrei abrigo, casa, comida e um irmão. Amar a Igreja é amar e honrar a minha fé, é alegrar-me na minha identidade de cristão e na minha missão de servo do Senhor Jesus. O que Jesus, o fundador da sua Igreja, queria que entendêssemos é que é impossível amá-lo sem amar o seu povo e a sua Igreja. Por isso, eu quero declarar o meu amor pelo meu salvador vivendo o amor pela minha igreja, ou melhor, pela igreja dele, que não deixa de ser a nossa igreja, minha e de todos que o amam e que desejam amar o seu povo, família de Deus nesta terra. Paschoal Piragini - Pastor da PIB de Curitiba






Um púlpito, um microfone e um pastor. Combinação que pode resultar em uma grande pregação ou num grande espetáculo. Colocado em altos pedestais, acima de suas ovelhas e, em alguns casos, adorado como o próprio Deus, o sacerdote pode perder o foco de sua verdadeira missão, ministério e vocação - levando a própria igreja para um abismo repleto de beijos, sorrisos, roupa da moda, afagos e pouca base teológica. Vivemos um tempo em que pastores e lideranças, em busca de programações atraentes, têm envolvido seus membros em um ativismo desgastante e uma espiritualidade rasa. Desta forma, perdem o foco da propagação do evangelho, enquanto investem tempo e dinheiro para lotar os bancos de suas congregações. O resultado disso é uma geração de cristãos aparentemente felizes, mas pouco familiarizados com os fundamentos bíblicos. Kevin De Young e Ted Kluck  sabem o quanto a Igreja tem padecido por essa postura, mas estão certos de que ainda é possível resistir à igreja emergente, moderna e "antenada" e resgatar a essência do cristianismo, sem tornar a igreja uma instituição antiquada e engessada. Voltar às origens e resgatar o que foi perdido não é um retrocesso, mas sim um passo rumo ao futuro.





Muitos vivem correndo atrás do nada, buscando incessantemente satisfação no trabalho, na família e na prosperidade material. Não que isso seja ruim, mas, no fim das contas, essas coisas não nos satisfazem por completo. E por que não? Você já deve ter ouvido falar que Deus tem um plano para a sua vida, o qual já está inteiramente traçado. Parte dessa insatisfação eterna do ser humano se dá por conta do distanciamento entre suas escolhas e esse projeto divino personalizado. Saber como tomar decisões acertadas, de modo a não fugir do plano de Deus e alcançar satisfação plena é o que você vai descobrir com Kevin DeYoung  nesta obra sobre a vontade de Deus. Aqui você não vai encontrar fórmulas prontas do tipo "faça isso e não faça aquilo", mas compreenderá de forma simples e libertadora como identificar a vontade de Deus e aplica-la em sua vida. Deixe a indecisão e a dúvida para trás e faça alguma coisa!



FACEBOOK    TWITTER 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

💪 Nós aprendemos com Jesus que a verdadeira masculinidade não é simplesmente manter nossos narizes limpos e nossa casa em ordem. A verdadeira masculinidade significa enxergar além de nós mesmos para amar nosso próximo – e nosso próximo é qualquer um que encontramos em necessidade. O homem de verdade livremente doa seu tempo, recursos, atenção, energia e apoio emocional para aqueles que precisam, sem se preocupar em como eles podem retribuir. Seja você casado ou solteiro, se você não está servindo ao seu próximo abnegadamente e sacrificialmente, você não está exercendo completamente a masculinidade bíblica.

Phillip Holmes



Postagens populares

.

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!
Você deseja honrar o corpo de Cristo? Não o ignore quando ele está nu. Não o homenageie no templo vestido com seda quando o negligencia do lado de fora, onde ele está malvestido e passando frio. Ele que disse "Este é o meu corpo" é o mesmo que diz "Tu me vistes faminto e não me destes comida" e «quantas vezes o fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes» (Mateus 25:40)... Que importa se a mesa eucarística está lotada de cálices de ouro quando seu irmão está morrendo de fome? Comeces satisfazendo a fome dele e, depois, com o que sobrar, poderás adornar também o altar.

João Crisóstomo, Comentário sobre Mateus

♛ Uma das características mais recorrentes das homilias de João Crisóstomo (347-407) é sua ênfase no cuidado com os necessitados. Ecoando temas do Evangelho de Mateus, ele exorta os ricos a abandonarem o materialismo para ajudar os pobres, empregando todas as suas habilidades retóricas para envergonhar os ricos e obrigá-los a abandonar o consumismo mais conspícuo:


“Honras de tal forma teus excrementos a ponto de recebê-los em vasilhas de prata quando outro homem criado à imagem de Deus está morrendo de frio?”


— João Crisóstomo


-

OREM PELOS CRISTÃOS

OREM PELOS CRISTÃOS