"AO CONTRÁRIO DE MUITOS, NÃO NEGOCIAMOS A PALAVRA DE DEUS VISANDO A ALGUM LUCRO; ANTES, EM CRISTO FALAMOS DIANTE DE DEUS COM SINCERIDADE, COMO HOMENS ENVIADOS POR DEUS". 2 Coríntios 2. 17



quinta-feira, 18 de julho de 2013

* Bibliologia / Artigos

 COMO LER A BÍBLIA / CHARLES H. SPURGEON

  Charles Haddon Spurgeon - Como Ler a Bíblia by EVENILSON




                                               A BÍBLIA

•  HÁ UM GRANDE INCENTIVO EM SE GOLPEAR O TEXTO: “ A BÍBLIA É UMA FONTE NOTÁVEL: QUANTO MAIS SE TIRA E SE BEBE DELA, MAIS ELA ESTIMULA A SEDE”.

•  “Se o Diabo nada pode fazer contra os ensinamentos, ele ataca a pessoa que ensina, mentindo, caluniando, amaldiçoando e vociferando contra ele”.

•  “Todo o nosso estudo é vão, sem a obra de Deus sujeitando nossa cegueira e dureza de coração”.

•  “Não dar crédito ou desobedecer a alguma parte da Escritura, significa não dar crédito ou desobedecer ao próprio Deus”.

•  Acima de tudo, as Escrituras dão convicção de vida eterna. Goethe, famoso escritor alemão, afirmou: “Progrida o mundo quanto quiser,, desenvolvam-se ao máximo todos os ramos da pesquisa. Nada tomará o lugar da Bíblia”.

•  A Bíblia é para ser lida, conhecida e amada, Sl 119:97-105, mas, sobretudo, colocada em prática.

•  A Bíblia é como uma fonte de água viva que sempre tem água saudável para o sedento.




  CONHECENDO AS DOUTRINAS DA BÍBLIA / MYER PEARLMAN






A SEDUÇÃO DAS NOVAS TEOLOGIAS



PORQUE LER A BÍBLIA?

Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
Salmo 1:2


George Whitefield orava sobre cada linha que lia da Bíblia. George Müller leu a Bíblia 200 vezes e mais da metade fez isto de joelhos, chorando sobre ela.

Todas as pessoas deveriam ter o hábito salutar de ler a Bíblia inteira todos os anos. E não é difícil. Basta que se leia vinte e três capítulos por semana: três em cada dia da semana e cinco no domingo. Um capítulo de novela de televisão gasta em média, quarenta minutos, incluindo os comerciais. Seis capítulos de novela por semana somam quatro horas. Multiplicando quatro por cinqüenta e duas semanas do ano, temos duzentas e oito horas. Com esse tempo, uma pessoa que leia razoavelmente poderia ler a Bíblia inteira duas vezes por ano. Quantas pessoas se desculpam dizendo que não tem tempo de ler a Bíblia, mas têm tempo para ver novelas. Basta fazer uma troca. A leitura da Bíblia é infinitamente mais importante.


Precisamos nos apaixonar novamente pelas Sagradas Escrituras! 


Por que ler a Bíblia


» Porque por meio Dela conhecemos a Deus e ficamos sabendo o que Ele exige de nós e o que Ele nos promete: 2 Timóteo 3.16; João 5.39; 2 Pedro 1.4.
» Porque Nela se encontra revelado o amor de Deus pelo ser humano: João 3.16 e 20.30-31
» Porque Nela somos ensinados e habilitados a viver o mais alto conceito de amor: Mateus 5.43-48; 1 Coríntios 13; Romanos 12.9-21
» Porque Nela encontramos mensagens de consolo e paz: João 14
» Porque Suas palavras falam ao coração angustiado e o consolam: Salmos 103
» Porque Nela se encontram os princípios para uma vida de felicidade e harmonia no Lar: Efésios 5.22 a 6.4


Como ler a Bíblia

# Manual Bíblico vida Nova

Há milhares de anos as sagradas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento vêm sendo alvo de estudos ininterruptos de multidões de leitores da Bíblia. Isso significa que no centro da vida espiritual dos cristãos está um documento precioso que contém um tesouro de sabedoria sagrada e a essência de sua revelação. 


A Bíblia é na realidade uma biblioteca de obras escritas por muitos autores diferentes. Empregam-se todos os tipos de estilo literário, e a Bíblia contém, de fato, quase todos os tipos de literatura já escritos.

Leitura acompanhada de oração para crescimento espiritual

As seguintes providências podem nos orientar na leitura para nosso desenvolvimento e crescimento espiritual:


1. Leitura audível. Leia cada trecho da Bíblia em voz alta.
2. Reflexão ativa. Examine os muitos significados da leitura.
3. Aplicação cuidadosa. Estabeleça um diálogo pessoal e intenso com a leitura.
4. Ouça em oração. Sente-se em silêncio na presença de Deus e, atento, permita que o Espírito Santo ilumine suavemente sua mente e comece sua obra de transformação interior.
Cada aspecto da leitura geral da Bíblia delineado acima constitui um meio pelo qual as Escrituras podem tornar-se uma fonte de sustento espiritual.

. Leia a sua Bíblia todos os dias, medite naquilo que você está lendo e construa sua vida sobre as promessas e os ensinamentos que Lhe apresenta.


importância da Bíblia 

O estudo das Escrituras Sagradas é uma obrigação necessária para qualquer cristão instruído e também uma responsabilidade sagrada para os que levam a sério à fé.

Um estudo bíblico sério deve ser abordado com o conhecimento de que a Bíblia convida nossa investigação e que é possível aprender profundamente com ela.


Compreender a Bíblia não é só uma questão de aprender os muitos fatos e detalhes da história bíblica.

A prática da verdade das Escrituras talvez seja o conceito mais importante a ser compreendido antes de nos lançarmos ao estudo sistemático da Bíblia.

Cada cristão é um participante ativo no processo de compreensão da mensagem da Bíblia. Como membro da comunidade cristã, cada um que estuda a Bíblia se coloca dentro de todos esses níveis de sentido e pode usá-los como lentes, por meio das quais examina a verdade de Deus. O sentido da Bíblia não é, portanto, algo estático. Ele é extremamente dinâmico. O que ocorre pessoalmente com cada um de nós e com nosso mundo convida a verdade da Palavra de Deus a atuar sempre de modo diferente, e somos desafiados por ela a nos transformar em novas criaturas. Devemos esperar que o estudo da Bíblia ajude a revolucionar nosso entendimento, nosso comportamento, nossa percepção do mundo e de nós mesmos e que isso nos conduza a um relacionamento mais íntimo com o próprio Deus. 


A LEITURA DA BÍBLIA 

Afirma-se que hoje vendem-se mais Bíblias do que qualquer outro livro. Indaga-se, é claro, se existe uma cor¬relação exata entre as Bíblias vendidas e as Bíblias lidas. Ela é a autoridade máxima para o ensino da igreja e tem sido o texto que inspira e enriquece a vida dos cristãos de todas as eras em todos os lugares.

A Bíblia como biblioteca

A Bíblia é de fato uma biblioteca de muitos livros escritos por uma grande variedade de autores, em épocas distintas, com diferentes propósitos e em muitos estilos diferentes. Se estivesse numa biblioteca, é provável que você quisesse folhear os livros e familiarizar-se com a biblioteca toda. Depois descobriria todas as diferentes categorias ali presentes e começaria a ler de acordo com suas próprias necessidades ou interesses. Por fim você iria querer aprender a usar a biblioteca toda.


* Dicas do blog Missões & Teologia

.... Comece lendo de Mateus até Apocalipse, e depois de Gênesis à Malaquias. Ou então, para uma melhor compreensão dos fatos e acontecimentos e também história, é importante você começar a ler em Gênesis até Malaquias e compreender o contexto da
missão de Jesus relatada no Novo Testamento.

Pesquisa:
http://www.pilb.t5.com.br/
Manual Bíblico Vida Nova





A INERRÂNCIA DA BÍBLIA ...


Estudo abordado na EBD, por Seminarista Michael Rossane.


“A graça seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade. Amém.” (Efésios. 6:24 ACF)“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;” (II Timóteo 3:16 ACF)

Definição (segundo o site “Luz para o caminho” da inspiração e preservação das Escrituras).

1. Conforme posto no artigo I da DDCBB, a Bíblia É a Palavra de Deus; Sua plena e definitiva revelação aos homens. Escrita por homens inspirados por Deus, é inerrante e infalível nos originais em quaisquer de seus 66 livros componentes, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento.(Lucas 16:29, Hebreus 1:1-2, II Timóteo 3:16, II Pedro 1:21, Salmo eu 119:160)2. 

A Bíblia foi, conforme promessa de Deus, por Ele próprio preservada, desde os originais, nada se perdendo ou se acrescendo. Sua preservação foi constante no decorrer do tempo, estando sempre em uso por Seus filhos, crentes fiéis perseguidos através dos tempos. Como tal, o Antigo Testamento está plenamente preservado no Texto Massorético e o Novo Testamento no Texto Recebido (Textus Receptus), os quais formam a base de todas as traduções da Palavra de Deus feitas durante a Reforma (King James, João Ferreira de Almeida, Reina Valera, Diodati, Lutero, etc...), traduções estas que por quase 300 anos foram adotadas por 100% das igrejas fiéis e por 100% dos crentes fiéis.


A Palavra de Deus tem permanecido disponível durante todo o tempo a todos os crentes, seja nos originais, seja através de fiéis cópias suas ou através de uma de suas traduções fiéis.(Isaías 40:8, Salmo 19:7-9, Deuteronômio 12:32, Salmo 102:11-12, Salmo 111:7-8, Salmo 33:11-12, Isaías 59:21, Marcos 13:31, Apocalipse 14:6)“Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. 

Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (II Pedro 1:20-21 ACF). O caminho percorrido pelos textos que ficaram conhecidos como Textus Receptus ou texto tradicional ou texto do tipo bizantino, tem como início a igreja em Antioquia, local aonde pela primeira vez os discípulos de Cristo foram chamados cristãos, conforme Atos 11:26:“E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja, e ensinaram muita gente; e em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos.” (Atos 11:26 ACF). 

Desde o ministério de Cristo até mais ou menos o ano 100 d.C., os manuscritos originais do Novo Testamento foram escritos na língua grega, sendo que o livro de Apocalipse, escrito pelo apóstolo João, foi o último a ser escrito, isso por volta de 96 d.C. 

A história nos mostra que, com raras exceções, os livros do Novo Testamento foram sendo aceitos como canônicos pelas Igrejas quase que imediatamente após terem sido escritos. Podemos ver uma definição rápida e praticamente unânime do que era canônico, a ponto de em 150 d.C. várias traduções dos textos bíblicos serem feitas, contendo os mesmos 27 livros que encontramos hoje em nossas Bíblias. 

Temos assim, que menos de cem anos depois do primeiro documento ser escrito, os livros do Novo Testamento já estavam reunidos e eram reverenciados pela Igreja de Cristo como sendo de autoridade escritural divina. Foi criado um cânon oficial do Novo Testamento, o qual foi aceito por todas as Igrejas que se chamam Cristãs.Por um período de muitos séculos, os textos ficaram em uso pelos crentes de lá, tendo sido usados e copiados, usados e copiados, pois o pergaminho desgastava-se pelo uso intenso por parte da igreja. Àquela época, o material utilizado era muito caro, e eles otimizavam ao máximo seu uso. 

É assim que, os autógrafos, ou seja, os escritos de próprio punho pelos escritores bíblicos não são mais encontrados.Os textos foram utilizados ali, e posteriormente percorreram um caminho muito longo para a época, quando as distâncias eram tão difíceis de serem vencidas.Esse tipo de texto também foi encontrado pontualmente em algumas partes da Europa, como o Norte da Itália (aos pés dos Alpes), o Sul da França, e a Grã-Bretanha. 

O Texto Recebido começou com as igrejas dos apóstolos e foi preservado pelo próprio Deus, por intermédio da erudição verdadeira e da sabedoria espiritual da pura igreja nas suas diferentes fases:a) A igreja de Antioquia, na Síria, que enviou Barnabé e Paulo como missionários aos gentios, conforme Atos 13:1-3, e se tornou o centro do cristianismo. Ali houve muitos profundos eruditos, fiéis e verdadeiros. Em 150 eles concluíram a Peshitta, a excelente tradução da Bíblia para o sírio, das quais ainda existem mais de 300 cópias;b) As igrejas no Norte da Itália , que no ano 150 concluíram a Bíblia Itálica;c) As igrejas gálicas, no Sul da França;d) As igrejas celtas, na Grã Bretanha;e) As igrejas dos Valdenses, na região de Vaudois, Norte da Itália, aos pés dos Alpes. 

Elas preservaram o texto puro, desde 150. Muitas das puras cópias por eles usadas chegaram a Erasmo, aos reformadores, e a nós (louvado seja o Senhor!)f) As igrejas da Reforma, na Alemanha, Suíça, Inglaterra, etc. As Bíblias baseadas no Texto Recebido foram as únicas usadas pelos chamados protestantes, e pelas igrejas fiéis que não eram protestantes, como, por exemplo, os Batistas e os Menonitas; em centenas de países e línguas em todo o mundo, desde Tyndale (1525 e 1534), Lutero (1522 Novo Testamento e 1534 toda a Bíblia), Rei Tiago (King James - 1611), João Ferreira A. de Almeida (1681 e 1753), Almeida Corrigida e Revisada Fiel aos Textos Originais (ou Trinitariana, 1995).

Muitos séculos depois, em 1453 depois de Cristo, essa região de Bizâncio foi invadida por muçulmanos, o que levou vários teólogos e eruditos cristãos a fugirem de lá, levando consigo textos gregos do NT que haviam sido usados e copiados. Alguns possuíam partes do NT, enquanto outros, muito poucos, possuíam o NT inteiro.Os textos seguiram para a Europa, onde se lia predominantemente textos traduzidos para o latim. Com a chegada dos textos bizantinos, houve um renascimento do interesse pela língua grega.

Como Deus é maravilhoso! Tudo isto ocorreu à época do descobrimento da Imprensa em 1442, e também próximo à época da Reforma Protestante, deflagrada por Martinho Lutero em 1517.Foi aí que um erudito dedicado chamado Erasmo de Roterdã resolveu fazer uma compilação dos textos gregos disponíveis para produzir uma tradução para o latim, mas que resultou em um texto grego impresso.

À época, ele produziu cinco edições, sendo a primeira em 1516, e a terceira, quando ele já dispunha de um maior número de manuscritos, em 1522.Em 1521 Lutero iniciou a sua tradução para o alemão, tendo já uma edição de texto grego impressa disponível para realizá-la. Assim, também, várias traduções do NT foram feitas para diversas línguas, como: de Diodati, para o italiano (1607), Reina e Valera para o espanhol (1569, 1602), KING JAMES para o inglês (1611).Almeida foi o tradutor da época da Reforma, do texto hebraico e grego para o Português (1681,1753). 

Ele foi um missionário em Batávia, na Indonésia e passou a vida traduzindo a Bíblia Sagrada para o Português. Começou aos 16 anos e morreu em 1691,antes de terminar a tradução completa do AT, tendo parado no livro do Profeta Ezequiel. Um pastor holandês chamado Jacob Op den Akker foi quem completou a obra de tradução do AT, pois o NT já havia sido concluído e impresso pela 1ºvez em 1681, dez anos antes da morte de João Ferreira A. d’Almeida.Nenhuma tradução da Palavra de Deus foi tão amada e lida pelos crentes de fala de língua portuguesa quanto a tradução de Almeida.Mas não foi só Erasmo quem se dedicou à edição e impressão de NTs em grego. 

Desde a 1° edição produzida por Erasmo (1516), várias outras foram feitas, por diversos compiladores dos textos gregos bizantinos. Providencialmente, e cremos pela atuação poderosa de Deus em preservar a Sua Palavra, em pouco mais de um século de compilações, encontrou-se entre a 3ª edição de Erasmo e a última edição dos irmãos Elzevirs, (1633), aproximadamente 100 palavras diferentes, entre as aproximadamente 140.000 palavras do NT. 

Essas diferenças normalmente referiam-se a pequenos erros tipográficos, sinônimos, ou a diferenças como: Mt. 8:23 onde se lê “...no barco...”, lia-se “...o barco...” , originando um erro de concordância. Os textos foram todos encontrados concordantes entre si!!! Lembremos que esses textos ficaram relativamente isolados durante muitos séculos, pois nos primeiros séculos da era cristã, não havia rádio, televisão, telefones, celulares, Internet, carros, etc.!O TR, ou Texto Recebido, como ficou conhecido preserva a palavra de Deus conforme encontrada em 5210 manuscritos gregos, em um número ainda maior de manuscritos latinos, nas traduções antigas da palavra de Deus, do século II, aproximadamente 150 d.C., (Peshitta em siríaco, a Antiga Latina, que é a Vulgata original e a Copta para Egito e Etiópia, entre outras), assim como no Diatessaron, antes do ano 160, e nas referências textuais encontradas nos aproximadamente 86000 escritos dos pais da igreja; e que todo o texto sagrado foi assim preservado através dos tempos, sendo impresso o texto que ficou então conhecido por TR.Apesar de toda a perseguição sofrida pelos verdadeiros crentes no Senhor Jesus Cristo, e da perseguição aos manuscritos bíblicos, encontrou-se um texto concordante e fiel à época da Reforma Protestante. Glória a Deus pelo Seu poder em cumprir as Suas promessas!

Doutrina da Preservação . Deus preserva a Sua Palavra em uso pelos crentes fiéis em Cristo Jesus, de geração em geração.

“O conselho do Senhor permanece para sempre; os intentos do seu coração de geração em geração.” (Salmo 33:11 ACF)“Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o Senhor: o meu espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se desviarão da tua boca nem da boca da tua descendência, nem da boca da descendência da tua descendência, diz o Senhor, desde agora e para todo o sempre.” (Isaías 59:21 ACF)A Palavra de Deus é preservada de geração em geração.“Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu. A tua fidelidade dura de geração em geração; tu firmaste a terra, e ela permanece firme.” (Salmo 119:89-90 ACF)O TR foi utilizado por aproximadamente 300 anos sem contestações. 

Tanto à época da Reforma, quanto no grande movimento expansionista missionário inglês e americano dos séculos XVIII e XIX. Contudo, existe um outro tipo de texto grego.Esse texto grego tem como base predominante apenas dois manuscritos: o Sinaiticus, e o Vaticanus. Relato Histórico TCO caminho percorrido pelos textos que ficaram conhecidos como texto alexandrino, ou texto crítico, tem início em 1881, com dois padres anglicanos, Westcott e Hort, que elaboraram, na Inglaterra, um texto grego impresso, que ficou conhecido como Texto Crítico, por serem eles dois, críticos textuais. 

Eles compilaram basicamente dois manuscritos para a sua elaboração. Um desses manuscritos, o Sinaiticus, havia sido encontrado em 1844, por Tischendorf, um pesquisador patrocinado pelo rei Frederico-Augustanus para encontrar documentos antigos. Visitando o convento de Santa Catarina, aos pés do Monte Sinai, (daí o nome Sinaiticus), ele deparou-se com um punhado de papéis de aspecto antiquíssimo que estavam dentro de um cesto, junto com outros papéis esperando para ajudarem a aumentar o fogo do convento, sendo queimados em seu fogão. Era um manuscrito do século IV, tendo sido, apesar de antigo, muito bem conservado o seu material.

 Em 1846, ele publicou o que já havia conseguido levar do convento. Após muita negociação com os monges, ele pôde retirar o manuscrito todo, que continha a Septuaginta, apócrifos do VT e do NT, assim como, o NT em grego uncial, ou seja, em maiúsculas, que havia sido copiado, rasurado e acrescido de escritos nas margens e no meio, por copistas de Alexandria, no Egito.O outro manuscrito base de Westcott e Hort, o Vaticanus, estaria numa prateleira da biblioteca do Vaticano desde o século XV, e ficou sob mistério durante séculos; até que Tischendorf, novamente, em 1866, tivesse acesso a ele por 14 dias, durante 3 horas por dia, e decidiu copiá-lo. Ele publicou uma edição desta cópia em 1867.


O Vaticanos também contém apócrifos do NT, (‘Pastor de Hermas’ e ‘epístola de Barnabé’) e não contém o livro de Apocalipse.Esses manuscritos rasurados, escritos nas margens - e que serviram à engenhosidade de seus copistas pertencentes a uma escola alegórica em Alexandria, no Egito, que defendia as heresias de Orígenes, o qual descria da divindade de Cristo - foram considerados pelos críticos textuais como superiores aos manuscritos do TR, primordialmente pela sua antiguidade. 

O TR, eles já haviam rejeitado, pois, Hort aos 23 anos, chamou o TR de o “vil Textus Receptus”.“Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” (Provérbios 30:6 ACF)Se Vaticanus e Sinaiticus não saíram das mesmas penas, com certeza vieram da mesma escola de escrita, de Alexandria, no Egito.Assim, teria Deus escolhido QUASE preservar Sua Palavra através dos gnósticos e filósofos de Alexandria (Egito), embora Deus tenha chamado Seu Filho para FORA do Egito (Mt. 2), Jacó para FORA do Egito (Gn. 49), Israel para FORA do Egito (Ex. 15), e os ossos de José para FORA do Egito (Ex. 13).Poderia ser dito ‘quase’ preservar, já que os manuscritos alexandrinos discordam entre si em milhares de palavras, e em relação ao TR eles discordam em quase 10.000 das cerca de 140.000 santas palavras do NT! Uma em cada 14 palavras!Isso equivale a 7% de todo o NT! É como todas as palavras de I e II Pedro juntas!São 2000 adições, 2000 alterações, e 6000 omissões que existem no texto crítico, quando comparado ao Texto Recebido!Dá para imaginar os cristãos dos primeiros séculos utilizando um texto que contém os apócrifos do NT, e que não contém Apocalipse? Os manuscritos base do TC - Texto Crítico, NÃO estiveram em uso constante pela igreja, e seu excelente estado de conservação é uma das provas disso.“Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus.” (II Coríntios 2:17 ACF)Paulo deixa claro que existiam falsificadores da palavra de Deus. Os crentes tiveram sempre o discernimento dado pelo Espírito Santo de Deus para rejeitar os escritos falsos e usar os escritos verdadeiros. 

A canonização dos textos também se deu desta forma, e não somente os livros foram considerados canônicos, mas a forma como esses livros apresentavam-se escritos, também foi juntamente reconhecida como sagrada.

 “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gálatas 1:8 ACF). E Paulo exorta aos Tessalonicenses a não considerarem “...epístola...” como se fossem eles que a tivessem escrito e que “...ninguém...” os enganasse. Conforme II Tessalonicenses 2:2-3a:“Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane;...” (II Tessalonicenses 2:2-3a ACF). 

Implicações da existência do texto crítico em grego para as Bíblias  (modernas e impressas em Português). Assim como os crentes nos primeiros séculos tiveram o discernimento na escolha dos manuscritos fiéis, Deus dá esta mesma autoridade a cada crente verdadeiro no Senhor Jesus Cristo hoje, pois o Espírito Santo de Deus, que habita em nós, nos dá essa autoridade. Devemos ser como os crentes de Beréia, os quais foram mais nobres que os de Tessalônica, porque mesmo sendo Paulo uma pessoa culta, que havia estudado aos pés de Gamaliel, eles:“... de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” (Atos 17:11b ACF)“...Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4:6b ACF)“Toda a palavra de Deus é pura;...” (Provérbios 30:5a ACF)“A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices. 

Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e ilumina os olhos. O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros e justos juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa.” (Salmo 19:7-11 ACF)A Palavra de Deus é pura, nela não há confusão, nem mistura. 

Ela não deixa dúvidas: é clara, límpida, cristalina. Ainda que alguns textos se nos apresentem de difícil interpretação e aplicação, temos que interpretar sempre a Escritura pela Escritura e com a Escritura, tendo sempre a confiança de que, o que estamos lendo, é de fato, a pura Palavra de Deus, fiel cópia de tudo aquilo que foi originalmente escrito. Precisamos ter um texto inerrante e fiel.A existência do TC traz dúvidas quanto à correção, fidelidade, inteireza e certeza sobre a Palavra de Deus, pois, existem implicações muito grandes das diferenças tremendas entre o TR e o TC nas traduções da Bíblia Sagrada para todas as línguas hoje no mundo.São contradições e erros que são introduzidos, doutrinas básicas da fé cristã que são atacadas ou enfraquecidas, são colchetes e notas de rodapés semeando dúvidas quanto à inteireza e a correção da Palavra de Deus.

O TC ataca a DIVINDADE DE CRISTO, a PROPICIAÇÃO SÓ PELO S-A-N-G-U-E DE CRISTO, a MORTE VICÁRIA DE CRISTO (em nosso lugar!), a doutrina da TRINDADE, a inspiração da BÍBLIA, a DOUTRINA DA SALVAÇÃO, a importância do JEJUM BÍBLICO, o NASCIMENTO VIRGINAL DE CRISTO.O TC extirpa centenas de títulos divinos de Cristo.O TC omite o “...Amém.” em muitos livros do NT.

Tradução por equivalência formal e tradução por equivalência dinâmica.

 As traduções da Bíblia podem ser de duas formas: Tradução por equivalência formal, ou Tradução por equivalência dinâmica.Na formal, o texto é traduzido palavra por palavra, mas em alguns casos, não há uma palavra no Português com um sentido suficientemente claro para traduzir exatamente o que texto grego quer dizer, ou quando há necessidade de uma palavra para dar fluência ao texto. 

Nesses casos, o tradutor por equivalência formal insere uma palavra em Português, mas coloca-a em itálico, por uma questão até de honestidade, para que o leitor saiba que aquela palavra não se encontra no original, mas foi necessária a sua inclusão para um melhor sentido na tradução do texto. Almeida fez uso das itálicas com essa finalidade na sua tradução para o Português.O mesmo não acontece na tradução por equivalência dinâmica. Neste tipo de tradução, não são levadas em consideração palavra por palavra do texto, e sim, o que seria o seu ‘pensamento’. 

O que é traduzido é o que se supõe ser o ‘pensamento’ do autor, e essa tradução é feita sem o uso das itálicas, de tal maneira que o leitor não tem como saber se o que foi traduzido é originado no texto grego, ou se são interpretações do tradutor.Isso dá margem à introdução de interpretações do tradutor na tradução, e perde-se a fidelidade de uma tradução palavra por palavra, ou seja, por equivalência formal.Tratando-se de uma tradução da Bíblia, sendo ela a Palavra de Deus, admite-se para sua tradução, somente o método por equivalência formal, o que, aliás, sempre foi feito, até o século passado, quando começaram a surgir traduções parafraseadas do texto.

 “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.” (Mateus 5:18 ACF)“E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.” (Lucas 16:17 ACF)“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” (Hebreus 4:12 ACF) Nosso Deus é o Deus Todo-Poderoso! Ele inspirou e preservou poderosamente a Sua Palavra, através da história da humanidade, e assim continuará fazendo, pois assim Ele prometeu! Ele não perdeu o controle dos escritos sagrados, Ele não permitiu que a Sua Palavra se perdesse ou se confundisse. 

Temos a Palavra de Deus hoje preservada em todas as cópias fiéis dos originais e em todas as traduções fiéis da Palavra de Deus.“Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” (Tiago 1:17 ACF)Nem tão pouco em Sua Palavra, afinal Cristo é o Verbo, e Cristo é Deus, conforme João 1:1“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” (João 1:1 ACF)A Palavra de Deus é uma só."Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando." (Deuteronômio 4:2 ACF)“O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.” (Mateus 24:35 ACF)“Mas a palavra do Senhor permanece para sempre...” (I Pedro 1:25a ACF)“Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” (Apocalipse 22:18-19 ACF)

CONCLUSÃO:


Se os adeptos da moderna crítica textual estão certos, então Deus deixou a Sua igreja sem a Sua Palavra verdadeira por 14 séculos. Se eles estão certos, os “melhores manuscritos” ficaram escondidos em um convento, ou em uma prateleira do Vaticano, por séculos.A Bíblia é inerrante, desde os seus autógrafos originais, ou seja, em todos os seus escritos fiéis, em todas as suas cópias fiéis, e em todas as suas traduções fiéis, os quais não possuem contradições ou erros.

Qual texto nós vamos escolher para conhecermos a Deus, e a Sua vontade? Qual texto vamos utilizar para pregar o evangelho verdadeiro aos perdidos? Qual texto vamos utilizar para nossa leitura, meditação e edificação espiritual? Qual texto nós vamos colocar nas mãos das nossas crianças, a próxima geração?

.Analise as seguintes referências na ACF - ALMEIDA CORRIGIDA FIEL da SBTB-SOCIEDADE BÍBLICA TRINITARIANA DO BRASIL




A ORIGEM DA BÍBLIA







GRÁFICO / LIVROS DA BÍBLIA


O objetivo principal de quem se
propõe a estudar a Bíblia não deve
ser simplesmente satisfazer sua 

curiosidade sobre ela, mas sim 
possuir um ardente desejo de 
conhecer as Sagradas Escrituras 
para aproximar-se mais de Deus
    Para entender a Bíblia, não basta lê-la, é necessário conhecê-la. E para conhecê-la é preciso saber identificar as suas divisões e os seus dados históricos: isso inclui a autoria, a situação política e religiosa e a época em que foram escritos cada um dos seus livros. Esse gráfico traz um resumo de todos esses dados e contém as seguintes informações:
  •     Nome: O nome conhecido de cada livro conforme é descrito na maioria das versões bíblicas existentes na língua portuguesa;
  • Abreviatura: a abreviatura do nome de cada livro escrita da forma que é mais popularmente utilizada;
  • Data: todas as datas foram calculadas de acordo com dados históricos, os quais a maioria possui uma certa controvérsia. Portanto, os períodos de tempo mencionados são aproximados, podendo ser exatos ou não;
  • Autor: apenas alguns livros identificam seus autores. Os demais tiveram sua autoria atribuída ao livro mediante pesquisas históricas: alguns nomes são incertos;
  • Capítulos: a quantidade de capítulos existente em cada livro;
  • Versículos: a quantidade de versículos existente em cada livro;
  • Resumo dos principais conteúdos: Alguns dos principais textos contidos em cada livro.
    Entre os ítens aqui inseridos estão inclusas também as categorias em que foram divididos os livros (Pentateuco, Livros Históricos, Livros Poéticos, Profetas Maiores, Profetas Menores, Evangelhos, Histórico, Epístolas Paulinas, Epístolas Gerais e Profético); cada categoria está realçada com cores diferentes para possibilitar uma mais rápida identificação. O objetivo desse trabalho é facilitar pesquisas, reunindo - de forma resumida - as mais básicas informações sobre a Bíblia organizadas em uma só tabela gráfica.

GRÁFICO - LIVROS DA BÍBLIA
Antigo Testamento
Nome
Abrev.
Data
Autor
Cap.
Vers.
Resumo dos principais conteúdos
Pentateuco
Gênesis
Gn
1400aC
Moisés
50
1532
A criação do universo; a origem do homem; o pecado; a história dos patriarcas.
Êxodo
Êx
1400aC
Moisés
40
1204
A escravidão de Israel no Egito e a sua libertação; a caminhada do povo pelo deserto rumo à terra prometida.
Levítico
Lv
1445aC
Moisés
27
852
A instituição do sacerdócio; a oficialização do culto e dos sacrifícios a Deus.
Números
Nm
1400aC
Moisés
36
1272
A numeração das tribos de Israel.
Deuteronômio
Dt
1400aC
Moisés
34
952
A confirmação da Lei de Deus entregue a Moisés.
Livros Históricos
Josué
Js
1400 a 1375aC
Josué
24
656
A missão de Josué após a morte de Moisés; a conquista de Canaã e a sua divisão entre as tribos.
Juízes
Jz
1000 a 900aC
Samuel, Natã(?), Gade(?)
21
618
Deus estabelece juízes para julgar em Israel.
Rute
Rt
1000 a 900aC
Samuel, Natã(?), Gade(?)
4
85
A história de Rute e Noemi.
1º Samuel
1º Sm
1150 a 1010aC
Samuel, Natã(?), Gade(?)
31
811
A angústia de Ana; o nascimento de Samuel e o seu chamado profético; o reinado e a morte de Saul.
2º Samuel
2º Sm
931 a 722aC
Samuel, Natã(?), Gade(?), Abiatar(?)
24
695
O reinado de Davi e os seus problemas familiares.
1º Reis
1º Rs
560 a 538aC
Jeremias(?)
22
817
Continuação da narrativa de 1º e 2º Samuel; o reinado de Salomão e os reis que o sucederam.
2º Reis
2º Rs
560 a 538aC
Jeremias(?)
25
719
Continuação do livro de 1ª Reis; reinado dos reis de Israel e de Judá.
1º Crônicas
1º Cr
425 a 400aC
Esdras
29
942
Resumo dos fatos mais importantes já relatados nos livros anteriores.
2º Crônicas
2º Cr
425 a 400aC
Esdras
36
822
Resumo dos fatos mais importantes já relatados nos livros anteriores.
Esdras
Ed
538 a 457aC
Esdras
10
280
O retorno dos israelitas que estavam no cativeiro da Babilônia.
Neemias
Ne
423aC
Esdras
13
406
Neemias lidera a reconstrução das muralhas de Jerusalém.
Ester
Et
465aC
Mardoqueu(?), Esdras(?)
4
167
Ester é escolhida pelo rei Assuero como rainha no lugar de Vasti; Mardoqueu descobre que Hamã preparava um plano para destruir os judeus; Ester intercede pelos judeus diante de Assuero; Mardoqueu é honrado pelo rei e Hamã é enforcado.
Livros Poéticos
1400aC
Moisés(?), Salomão(?)
42
1070
As perdas e o sofrimento de Jó e a sua restituição.
Salmos
Sl
1000 a 300aC
Davi, Moisés, Asafe, Hemã, Salomão, Etã, Jedutum e os filhos de Corá
150
2641
Seleção de cânticos e poesias de exaltação e louvor ao nome do Senhor.
Provérbios
Pr
900aC
Salomão, Agur e rei Lemuel
31
915
Conselhos, avisos e palavras de exaltação à sabedoria dada por Deus.
Eclesiastes
Ec
931aC
Salomão
12
222
Pensamentos reflexivos sobre a vida humana.
Cantares
Ct
970 a 930aC
Salomão
8
117
Palavras de amor entre um homem e uma mulher que fazem lembrar o amor entre Cristo e a Igreja.
Profetas Maiores
Isaías
Is
700 a 690aC
Isaías
66
1292
Mensagens de correção e promessas de bênçãos para Israel; profecias messiânicas; a cura do rei Ezequias.
Jeremias
Jr
626 a 586aC
Jeremias
52
1364
O chamado de Jeremias; profecias contra Israel por sua desobediência; a parábola do oleiro; o exílio babilônico; profecias contra vários inimigos de Israel; o cerco e queda de Jerusalém.
Lamentações
Lm
587aC
Lamentações
5
154
A tristeza do profeta Jeremias diante do sofrimento de Jerusalém.
Ezequiel
Ez
593 a 573aC
Ezequiel
48
1273
A chamada de Ezequiel; o exílio e o cativeiro de Judá; profecias contra vários inimigos de Judá; a restauração do templo.
Daniel
Dn
605 a 582aC
Daniel
12
357
O exílio de Judá; a fidelidade do jovem Daniel a Deus; interpretações dos sonhos de Nabucodonosor; convocação para adorar a estátua de ouro; livramento dos três jovens na fornalha; visões escatológicas.
Profetas Menores
Oséias
Os
750aC
Oséias
14
197
O casamento de Oséias com uma prostituta simbolizando o casamento de Deus com Israel.
Joel
Jl
835 805aC
Joel
3
73
Profecias escatológicas; previsões sobre o derramamento do Espírito Santo.
Amós
Am
760 a 750aC
Amós
9
146
Julgamento divino sobre várias nações, inclusive Israel.
Obadias
Ob
586aC
Obadias
1
21
Profecia contra Edom.
Jonas
Jn
700aC
Jonas
4
48
O profeta Jonas desobedece a ordem divina para pregar em Nínive; ele é lançado ao mar e engolido por um grande peixe; o profeta recebe uma segunda ordem para pregar em Nínive; a conversão dos ninivitas desagrada a Jonas e Deus o castiga.
Miquéias
Mq
704 a 696aC
Miquéias
7
105
Reprovação pelos pecados do povo; profecias escatológicas.
Naum
Na
612aC
Naum
3
47
O julgamento de Deus sobre os pecados de Nínive.
Habacuque
Hc
600aC
Habacuque
3
56
Questionamentos do profeta Habacuque sobre a justiça divina e a resposta do Senhor; o profeta clama e exalta o nome de Deus.
Sofonias
Sf
630aC
Sofonias
3
53
Alerta contra o pecado do povo.
Ageu
Ag
520aC
Ageu
2
38
A negligência do povo de Deus em relação ao templo.
Zacarias
Zc
520 a 475aC
Zacarias
14
211
O chamado ao arrependimento; profecias escatológicas.
Malaquias
Ml
450aC
Malaquias
4
55
O amor de Deus por Israel; a importância da contribuição com dízimos e ofertas para a manutenção do templo.
Novo Testamento
Evangelhos
Mateus
Mt
50 a 75dC
Mateus
28
1071
A genealogia, o nascimento, o ministério, a crucificação e a ressurreição de Jesus Cristo.
Marcos
Mc
65 a 70dC
João Marcos
16
678
O ministério de João Batista; o batismo, o ministério, a crucificação e a ressurreição de Jesus Cristo.
Lucas
Lc
59 a 75dC
Lucas
24
1151
O nascimento de João Batista e de Jesus; o ministério de João Batista; A genealogia, o ministério, a crucificação e a ressurreição de Jesus Cristo.
João
Jo
85dC
João
21
879
O ministério, a crucificação e a ressurreição de Jesus Cristo.
Histórico
Atos
At
62dC
Lucas
28
1007
A descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes; o início do ministério dos apóstolos sem a presença física de Jesus; a organização da Igreja Primitiva; o apedrejamento de Estevão; a conversão de Saulo, o início de seu ministério e suas viagens missionárias;
Epístolas Paulinas
Romanos
Rm
56dC
Paulo
16
433
A apresentação do apóstolo Paulo; a justificação do pecado pela fé.
1ª Coríntios
1ª Co
56dC
Paulo
16
437
A divisão pela preferência de liderança na igreja de Corinto; problemas de disciplina na igreja; a importância do amor; a vida conjugal; a santa ceia; o controle no uso dos dons; a ressurreição dos mortos.
2ª Coríntios
2ª Co
55 a 56dC
Paulo
13
257
O sofrimento de Paulo; problemas em Trôade; a importância da contribuição e da generosidade; a defesa de sua autoridade apostólica; alerta contra os falsos profetas.
Gálatas
Gl
55 e 56dC
Paulo
6
149
O desânimo dos Gálatas; a liberdade cristã; a necessidade do crente em ser guiado pelo Espírito Santo.
Efésios
Ef
60 a 61dC
Paulo
6
155
A Igreja é o Corpo de Cristo; a pureza espiritual; a conduta correta para um casal cristão; a armadura de Deus.
Filipenses
Fp
61dC
Paulo
4
104
Salvação; ação de graças; oração; confiança em Deus para lidar com as adversidades da vida.
Colossenses
Cl
61dC
Paulo
4
95
Os problemas do legalismo; o culto aos anjos; a vida social do cristão.
1ª Tessalonicenses
1ª Ts
50dC
Paulo
5
89
A esperança de rever os crentes de Tessalônica; exortação à santidade; a volta de Cristo; perseverança na vida espiritual.
2º Tessalonicenses
2ª Ts
50dC
Paulo
3
47
O castigo divino contra os desobedientes; o antiCristo; a operação do erro; não se misturar com os infiéis.
1ª Timóteo
1ª Tm
64dC
Paulo
6
113
Conselhos ao jovem Timóteo; orar pelas autoridades; como as mulheres devem se comportar; o desejo do cristão pela Obra; a importância de se ter um bom testemunho; apostasia; como a Igreja deve tratar as viúvas.
2ª Timóteo
2ª Tm
66 a 67dC
Paulo
4
83
Despertar o dom; ter cuidado com o espírito de temor; a fortificação na graça; profecia sobre os tempos trabalhosos; relatos de perseguições; a inspiração das Escrituras Sagradas; o abandono dos obreiros que o acompanhavam.
Tito
Tt
64dC
Paulo
3
46
As qualidades requeridas de um obreiro; conselhos diversos.
Filemom
Fm
60 a 61dC
Paulo
1
25
Um apelo de Paulo a Filemom para que aceitasse de volta seu escravo Onésimo.
Epístolas Gerais
Hebreus
Hb
70dC
Desconhecido
13
303
Revelações sobre a pessoa de Jesus; os heróis da fé.
Tiago
Tg
48 a 62dC
Tiago
5
108
As tentações; a verdadeira religião; a acepção de pessoas; a fé e as obras; os perigos da língua; santificação; os bens materiais.
1ª Pedro
1ª Pe
60dC
Pedro
5
105
A esperança da salvação; santificação; Cristo, a pedra de esquina; conduta conjugal; humildade; vigilância; resistência ao Diabo.
2ª Pedro
2ª Pe
65 a 68dC
Pedro
3
61
A esperança da salvação; os falsos profetas; as consequências do pecado; o arrebatamento da Igreja.
1ª João
1ª Jo
90dC
João
5
105
Comunhão com Deus; confissão de pecados; Jesus Cristo, nosso advogado; hipocrisia; o amor às coisas do mundo; santificação; provar se os espíritos são de Deus; o verdadeiro amor; o mundo está no maligno.
2ª João
2ª Jo
90dC
João
1
13
A carta é destinada, muito provavelmente, a uma família cristã; cuidado com os falsos obreiros; o amor ao próximo.
3ª João
3ª Jo
90dC
João
1
15
Carta destinada ao presbítero Gaio, a quem Pedro muito elogia por sua fidelidade; seguir o bem e não o mal.
Judas
Jd
65 a 80dC
Judas
1
25
A intromissão de ímpios no meio da igreja; o castigo divino aos infiéis.
Profético
Apocalipse
Ap
79 a 95dC
João
22
405
Profecias escatológicas; um novo céu e uma nova terra.
66 livros  -  Mais de 40 autores  -  1.189 capítulos  -  31.173 versículos
Elaborado por: Jonas M. Olímpio

Jonas M. Olímpio
Postagem extraída do blog Escola Bíblica Virtual




O Que é a Palavra de Deus?

A Palavra de Deus é uma espada de dois gumes

Hebreus 4.12 - Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

A palavra de Deus é como fogo

Jeremias 23.29 - Não é a minha palavra como fogo, diz o SENHOR, e como um martelo que esmiúça a penha?

A Palavra de Deus é pura como prata refinada no forno de barro

Salmo 12.6 - As palavras do SENHOR são palavras puras como prata refinada em forno de barro e purificada sete vezes.

A Palavra de Deus é luz

Salmo 119.105 - Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho.

A Palavra de Deus produz alegria 


Salmo 119.47-48 - E alegrar-me-eis em teus mandamentos, que eu amo.
48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

A Palavra de Deus é eterna
Salmo 119.89 - Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu.


Isaías 30.8 - Vai, pois, agora, escreve isto em uma tábua perante eles e aponta-o em um livro; para que fique escrito para o tempo vindouro, para sempre e perpetuamente.


A Palavra de Deus é para ser lida e obedecida

Êxodo 24.7 - E tomou o livro do concerto e eles disseram: Tudo o que o SENHOR tem falado faremos e obedeceremos.
I Samuel 15.22 - Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.

A Palavra de Deus é refinada 


II Samuel 22.31 - O caminho de Deus é perfeito, e a palavra do SENHOR, refinada; ele é o escudo de todos os que nele confiam.

A Palavra de Deus é a verdade

Salmo 119.160 - A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre.

A Palavra de Deus é para ser temida

Habacuque 3.2 - Ouvi, SENHOR, a tua palavra e temi; aviva, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia.

A Palavra de Deus é para ser semeada

Marcos 4.14 - O que semeia semeia a palavra;

Devemos manter a Palavra de Deus escondida dentro dos nossos corações

Salmo 119.11 - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

A primeira escrita das Escrituras Sagradas foi través da pedra pelo dedo de Deus. 


Êxodo 24.12 - Então, disse o SENHOR a Moisés: Sobe a mim, ao monte, e fica lá; e dar-te-eis tábuas de pedra, e a lei, e os mandamentos que tenho escrito, para os ensinares.
Êxodo 31.18 - E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte Sinai) as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.
Êxodo 32.15-16 - E voltou Moisés, e desceu do monte com as duas tábuas do Testemunho na sua mão, tábuas escritas de ambas as bandas; de uma e de outra banda escritas estavam.
16 E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas.
Deuteronômio 9.10 E o SENHOR me deu as duas tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus; e nelas tinha escrito conforme todas aquelas palavras que o SENHOR tinha falado convosco no monte, do meio do fogo, no dia da congregação.

Quando Deus escrevia os 10 mandamentos com o seu dedo na pedra, houve trovões e relâmpagos no céu
Êxodo 20.18 - E todo o povo viu os trovões, e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso, retirou-se e pôs-se de longe.

BEM AVENTURADOS SÃO OS QUE LEEM A PALAVRA DE DEUS


Apocalipse 1.3 - Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
Lucas 11.28 - Mas ele disse: Antes, bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam.
Provérbios 4.4 - E ele ensinava-me e dizia-me: Retenha as minhas palavras o teu coração; guarda os meus mandamentos e vive.
Amós 8.11 - Eis que vêm dias, diz o Senhor JEOVÁ, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR.
Provérbios 7.1-3 - Filho meu, guarda as minhas palavras e esconde dentro de ti os meus mandamentos.
2 Guarda os meus mandamentos e vive; e a minha lei, como a menina dos teus olhos.
3 Ata-os aos teus dedos, escreve-os na tábua do teu coração.

A PALAVRA DE DEUS É PARA SER LIDA, TEMIDA E ENSINADA AOS FILHOS.

Deuteronômio 4.10 - No dia em que estiveste perante o SENHOR, teu Deus, em Horebe, o SENHOR me disse: Ajunta-me este povo, e os farei ouvir as minhas palavras, e aprendê-las-ão, para me temerem todos os dias que na terra viverem, e as ensinarão a seus filhos.
Deuteronômio 11.19-20 - e ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te; E escreve-as nos umbrais de tua casa e nas tuas portas,


Erramos quando não lemos as escrituras
Mateus 22.29 - Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

Marcos 12.24 - E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura, não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?

O APÓSTOLO PAULO NOS EXORTA A EXAMINAR TUDO E RETER O QUE É BOM


I Ts 5.21 - Examinai tudo. Retende o bem.

O SENHOR JESUS CRISTO TAMBÉM NOS EXORTA A EXAMINAR AS ESCRITURAS

João 5.39 - Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam

O PROFETA OSEIAS NOS EXORTA A PROSSEGUIRMOS EM CONHECERMOS O SENHOR

Oséias 6.3 - Conheçamos e prossigamos em conhecer o SENHOR: como a alva, será a sua saída; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.

PRECISAMOS SENTIR SEDE DA PALAVRA DE DEUS

Salmo 42.12 - Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!
2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?

A Palavra de Deus é para ser meditada de dia e de noite

Salmo 1.2 - Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.

Deus fala para Josué não apartar de sua boca o livro da lei

Josué 1.8 - Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.

"NÃO PODEMOS ACRESCENTAR NADA À PALAVRA DE DEUS, ALÉM DO QUE ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA SAGRADA".
Deuteronômio 4.2 - Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que eu vos mando.
Apocalipse 22.18-19 - Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;
19 E se, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro.
Provérbios 30.6 - Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.

Necessitamos comer a Palavra de Deus - Vejamos exemplos abaixo: Jeremias, Ezequiel e o Apóstolo João


Jeremias 15.16 - Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome me chamo, ó SENHOR, Deus dos Exércitos.

Ezequiel 2.8-10 - Mas tu, ó filho do homem, ouve o que eu te digo, não sejas rebelde como a casa rebelde; abre a boca e come o que eu te dou.
9 Então, vi, e eis que uma mão se estendia para mim, e eis que nela estava um rolo de livro.
10 E estendeu-o diante de mim, e ele estava escrito por dentro e por fora; e nele se achavam escritas lamentações, e suspiros, e ais.
Ezequiel 3.1-3 - Depois, me disse: Filho do homem, come o que achares; come este rolo, e vai, e fala à casa de Israel.
2 Então, abri a minha boca, e me deu a comer o rolo.
3 E disse-me: Filho do homem, dá de comer ao teu ventre e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou. Então, o comi, e era na minha boca doce como o mel.
Apocalipse 10.8-10 - E a voz que eu do céu tinha ouvido tornou a falar comigo e disse: Vai e toma o livrinho aberto da mão do anjo que está em pé sobre o mar e sobre a terra.
9 E fui ao anjo, dizendo-lhe: Dá-me o livrinho. E ele disse-me: Toma-o e come-o, e ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel.
10 E tomei o livrinho da mão do anjo e comi-o; e na minha boca era doce como mel; e, havendo-o comido, o meu ventre ficou amargo.


O SENHOR JESUS PERGUNTOU VÁRIAS VEZES? Nunca LESTES - NECESSITAMOS LER AS ESCRITURAS


Mateus 21.16 - E disseram-lhe: Ouves o que estes dizem? E Jesus lhes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?
Mateus 21.42 - Diz-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta por cabeça do ângulo; pelo Senhor foi feito isso e é maravilhoso aos nossos olhos?
Marcos 2.25 - Mas ele disse-lhes: Nunca lestes o que fez Davi, quando estava em necessidade e teve fome, ele e os que com ele estavam?
Lucas 6.3 - E Jesus, respondendo-lhes, disse: Nunca lestes o que fez Davi quando teve fome, ele e os que com ele estavam?

Jesus conversou com o Diabo dizendo: Está escrito – Logo, quem não lê , também não pode dizer: Está escrito


Mateus 4.3 - E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.
Mateus 4.4 - Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.
Deuteronômio 8.3 - E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas que de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem.


O Diabo dialogou com Jesus e disse: Está escrito – O Diabo conhece muito bem as Escrituras

Mateus 4:6 E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.
Salmo 91.11 - Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.
Mateus 4.7 - Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.
Deuteronômio 6.16 Não tentareis o SENHOR, vosso Deus, como o tentastes em Massá.
Mateus 4.8-10 - Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe Todos os reinos do mundo e a glória deles.
9 E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
10 Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás.
Deuteronômio 6.13 - O SENHOR, teu Deus, temerás, e a ele servirás, e pelo seu nome jurarás.
Deuteronômio 10.20 - Ao SENHOR, teu Deus, temerás; a ele servirás, e a ele te chegarás, e pelo seu nome jurarás.


JESUS DISSE ESTÁ ESCRITO, REFERINDO-SE AO LIVRO DO PROFETA MALAQUIAS 3.1

Mateus 11.10 - Porque é este de quem está escrito: Eis que diante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho.
Malaquias 3.1 - Eis que eu envio o meu anjo, que preparará o caminho diante de mim; e, de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o anjo do concerto, a quem vós desejais; eis que vem, diz o SENHOR dos Exércitos.

JESUS DISSE ESTÁ ESCRITO REFERINDO-SE AO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS

Mateus 21.13 - E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração. Mas vós a tendes convertido em covil de ladrões.
Isaías 56.7 -Também os levarei ao meu santo monte e os festejarei na minha Casa de Oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos.

Mateus 26.31 - Então, Jesus lhes disse: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão.
Zacarias 13.7 - Ó espada, ergue-te contra o meu Pastor e contra o varão que é o meu companheiro, diz o SENHOR dos Exércitos; fere o Pastor, e espalhar-se-ão as ovelhas; mas volverei a minha mão para os pequenos.

Marcos 7.6 - E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.
Isaías 29.13 - Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim e, com a boca e com os lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído;


Palavras de João Batista 


Lucas 3.4-5 - Segundo o que está escrito no livro das palavras do profeta Isaías, que diz: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai as suas veredas.
4 Todo vale se encherá, e se abaixará todo monte e outeiro; e o que é tortuoso se endireitará, e os caminhos escabrosos se aplanarão;

Isaías 40.3-4 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no
ermo vereda a nosso Deus.
4 Todo vale será exaltado, e todo monte e todo outeiro serão abatidos; e o que está torcido se endireitará, e o que é áspero se aplainará.

O SENHOR JESUS MENCIONOU ALGUNS TEXTOS BÍBLICOS DO ANTIGO TESTAMENTO


Lucas 20.17 - Mas ele, olhando para eles, disse: Que é isto, pois, que está escrito? A pedra que os edificadores reprovaram, essa foi feita cabeça da esquina.
Salmo 118.22 - A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se cabeça de esquina.

Lucas 22.37 - porquanto vos digo que importa que em mim se cumpra aquilo que está escrito: E com os malfeitores foi contado. Porque o que está escrito de mim terá cumprimento.
Isaías 53.12 - Pelo que lhe darei a parte de muitos, e, com os poderosos, repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.

A APARIÇÃO DE JESUS AOS APÓSTOLOS, APÓS A SUA RESSURREIÇÃO


Lucas 24.46 - E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse e, ao terceiro dia, ressuscitasse dos mortos;
Isaías 50.6 - As costas dou aos que me ferem e a face, aos que me arrancam os cabelos; não escondo a face dos que me afrontam e me cospem.
Isaías 53.3-5 - Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
4 Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
5 Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades  o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados.
Salmo 22.1 - Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas das palavras do meu bramido e não me auxilias?
Mateus 27.46 - E, perto da hora nona, exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lemá sabactâni, isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Salmo 22.7-8 - Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo:
8 Confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.
Mateus 27.29-30 - E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça e, em sua mão direita, uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus!
30 E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana e batiam-lhe com ela na cabeça.

Salmo 22.16,18 - Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou; traspassaram-me as mãos e os pés.
18 Repartem entre si as minhas vestes e lançam sortes sobre a minha túnica.
Mateus 27.35 E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes.

O APÓSTOLO PAULO TAMBÉM FEZ MENÇÃO DE ALGUNS TEXTOS DO ANTIGO TESTAMENTO.


Atos 23.5 - E Paulo disse: Não sabia, irmãos, que era o sumo sacerdote; porque está escrito: Não dirás mal do príncipe do teu povo.
Êxodo 22.28 - Os juízes não amaldiçoarás e o príncipe dentre o teu povo não maldirás.
Romanos 2.24 - Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós
Isaías 52.5 E, agora, que tenho eu aqui que fazer, diz o SENHOR, pois o meu povo foi tomado sem nenhuma razão? Os que dominam sobre ele dão uivos, diz o SENHOR; e o meu nome é blasfemado incessantemente todo o dia.
Romanos 9.33 - Como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço e uma rocha de escândalo; e todo aquele que crer nela não será confundido.
Isaías 8.14 - Então, ele vos será santuário, mas servirá de pedra de tropeço e de rocha de escândalo às duas casas de Israel; de laço e rede, aos moradores de Jerusalém.
Romanos 10.15 - E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam a paz,
dos que anunciam coisas boas!
Isaías 52.7 - Quão suaves são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!


OS BEREIANOS FORAM CONSIDERADOS NOBRES, PORQUE RECEBIAM A PALAVRA DE BOM GRADO E A EXAMINAVAM 


Atos 17.10-11 - E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Beréia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus.
11 Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.
O EUNUCO DA RAINHA CANDACE LIA O LIVRO DO PROFETA ISAÍAS  FILIPE AVISADO PELO ESPÍRITO FOI ATÉ ELE. ATRAVÉS DESTA LEITURA E DESTE ENCONTRO COM FILIPE, ESTE HOMEM SE CONVERTEU A JESUS CRISTO. ELE LEU ,CREU E FOI BATIZADO, RECEBENDO ASSIM A SALVAÇÃO  DAÍ A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DA PALAVRA DE DEUS.
Atos 8.26-39 - E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te e vai para a banda do Sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserto.
27 E levantou-se e foi. E eis que um homem etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros e tinha ido a Jerusalém para adoração,
28 Regressava e, assentado no seu carro, lia o profeta Isaías.
29 E disse o Espírito a Filipe: Chega-te e ajunta-te a esse carro.
30 E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías e disse: Entendes tu o que lês?
31 E ele disse: Como poderei entender, se alguém me não ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se assentasse.
32 E o lugar da Escritura que lia era este: Foi levado como a ovelha para o matadouro; e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, assim não abriu a sua boca.
33 Na sua humilhação, foi tirado o seu julgamento; e quem contará a sua geração? Porque a sua vida é tirada da terra.
34 E, respondendo o eunuco a Filipe, disse: Rogo-te, de quem diz isto o profeta? De si mesmo ou de algum outro?
35 Então, Filipe, abrindo a boca e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus.
36 E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado?
37 E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.
38 E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou.
39 E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco; e, jubiloso, continuou o seu caminho.


APÓS A LEITURA DESTE ESTUDO, CREIO QUE VOCÊ SENTIU A NECESSIDADE DE ESTUDAR  E CONHECER MAIS A PALAVRA DE DEUS. 

LEIA A BÍBLIA!!


NEUZA MARIA QUEIRÓZ BALDINI




Breve História da Interpretação da Bíblia

Desde o início da igreja desenvolveram-se duas heranças:

(1) uma que sustenta que o significado das Escrituras se encontra apenas em seu sentido primário, histórico e (2) outra que entende que o significado definitivo das Escrituras está em seu sentido pleno ou completo. Dessa distinção desenvolveram-se alguns modelos e combinações de modelos para a interpretação da Bíblia na igreja primitiva.

A igreja primitiva

Os pais apostólicos no século II acompanharam o pensamento dos apóstolos. Para provar a unidade das Escrituras e sua mensagem, estudiosos como Ireneu (c. 140-202 d.C.) e Tertuliano (c. 155-225 d.C.) desenvolveram estruturas teológicas. Essas estruturas serviram como diretrizes de fé na igreja.

Mantendo a ênfase cristológica do primeiro século, a regra de fé esboçava as crenças teológicas que encontravam seu centro no Senhor encarnado. A interpretação bíblica alcançou novos níveis com o surgimento da escola de Alexandria no século III, com o desenvolvimento da interpretação alegórica.

Quando a igreja entrou no século V, desenvolveu-se uma abordagem eclética e multifacetada de interpretação, que às vezes destacava o literal e histórico, e às vezes, o alegórico, mas sempre o teológico. Agostinho (354-430 d.C.) e Jerônimo (c. 341-420 d.C.) definiram os rumos desse período.

A Idade Média e a Reforma

Da época de Agostinho, a igreja, seguindo a lide¬rança de João Cassiano (que morreu em cerca de 433), abraçou a teoria do sentido quádruplo das Escrituras:

1) O sentido literal era o que podia nutrir as virtudes da fé, esperança e amor.
2) O sentido alegórico referia-se à igreja e à sua fé, àquilo em que ela devia crer.
3) O sentido tropológico ou moral referia-se aos indivíduos e ao que eles deviam fazer, correspondendo ao amor.
4) O sentido anagógico indicava a expectativa da igreja, correspondendo à esperança.


Martinho Lutero (1483-1546), o grande reformador, começou empregando o método alegórico, mas depois afirmou tê-lo abandonado. Foi Erasmo (1466-1536), mais que Lutero, quem redescobriu a primazia do sentido literal. João Calvino (1509-1564), o intérprete mais coerente da Reforma, desenvolveu a ênfase no método histórico-gramatical como base para o desenvolvimento da mensagem espiritual a partir da Bíblia. 


A era atual 


A era atual testemunhou o surgimento e o desenvolvimento de várias abordagens críticas das Escrituras.

A “Nova Hermenêutica” desenvolveu-se da abordagem existencial. Eles consideravam a interpretação como a criação de um “evento lingüístico” em que a linguagem autêntica da Bíblia confronta leitores contemporâneos, desafiando-os à decisão e à fé.


Além da hermenêutica existencial, entre os interesses recentes estão as abordagens linguística  literária, estruturalista e sociológica. Essas abordagens tendem a destacar o contexto histórico de um texto e a vida em seu ambiente original.
A hermenêutica canônica deve estar atenta para não reduzir as ênfases distintas dentro do cânon em favor de harmonizações superficiais.

HISTÓRIA DAS VERSÕES DA BÍBLIA EM INGLÊS 


Todas as traduções em inglês foram motivadas por necessidades práticas.

As versões anglo-saxônicas
As primeiras Bíblias em inglês não eram inglesas de maneira alguma, e a rigor nem eram traduções. As verdadeiras traduções anglo-saxônicas começaram com a versão de Salmos feita por Aldhelm em cerca de 700 d.C.

Na Idade Média
A Bíblia em inglês fez poucos avanços durante os primeiros anos dos normandos, após 1066. O reformador John Wycliffe, destacando a função das Escrituras, teve a visão de traduzir toda a Bíblia para uso mais amplo.

Na Reforma

Tyndale. A Bíblia de Wycliffe foi um passo importante, mas uma oposição feroz, o trabalho pesado, o alto custo de produção e as rápidas mudanças linguísticas reduziram seu impacto. William Tyndale foi o pioneiro, o incentivador e buscou patrocínio oficial publicar a edição aperfeiçoada de 1534.

The Great Bible (A Grande Bíblia). Coverdale, protegido pelo arcebispo Cranmer, fez então uma tradução rápida de toda a Bíblia a partir de fontes secundárias (1535); para tanto obteve autorização real.

As Bíblias de Genebra, do Bispo e de Rheims. Um Antigo Testamento revisado completou a Bíblia de Genebra em 1560. A versão incluía os apócrifos, mas negava especificamente sua autoridade canônica.


Authorized Version (AV, KJV). John Reynolds produziu uma versão da Bíblia revisada. Essa versão passou a ser chamada King James Version (KJV, Versão do Rei Tiago) ou Authorized Version (AV, Versão Autorizada).

No período moderno
No período pós-Reforma. Trabalhos complementares na Bíblia em inglês tomaram três rumos diferentes: paráfrase, pesquisa acadêmica e modernização estilística. As paráfrases na realidade tentam interpretar o texto de maneira popular para o leitor.

No século XIX. No século XIX, estudos bíblicos avançados e a utilização cada vez maior logo geraram uma demanda de revisões que refletissem as conclusões acadêmicas e o desenvolvimento linguístico.

A revisão americana obteve mais sucesso. Essa versão não só divergiu da RV em detalhes, como alcançou maior qualidade literária que conquistou o apreço de muitos leitores.

No século XX

O século XIX concentrou-se principalmente no campo acadêmico, e o XX mostrou interesse especial na modernização.

O final do século XX gerou novas tentativas de versões populares.
Nenhuma versão é perfeita, e é preciso realizar novos trabalhos quando surgem novos dados e a língua muda. A Bíblia não é um livro comum. É a Palavra escrita de Deus e carrega o testemunho autorizado da Palavra encarnada.

HISTÓRIA DAS VERSÕES DA BÍBLIA EM PORTUGUÊS

O início das traduções da Bíblia para o português remonta à Idade Média. O rei D. Diniz (1279-1325) é considerado o precursor dessa tão nobre tarefa.

Foi o protestante português João Ferreira de Almeida, nascido em 1628, próximo a Lisboa, quem marcou a história como o primeiro tradutor a trabalhar a partir das línguas originais.

No início do século XX, em 1917, foi publicada no Brasil uma tradução bastante literal e erudita que teve a colaboração de Rui Barbosa. Ficou conhecida como a Tradução Brasileira e não é mais publicada atual¬mente.

No cenário evangélico, merece destaque a Bíblia na Linguagem de Hoje (BLH, Sociedade Bíblica do Brasil — 1988), feita intencionalmente em linguagem popular, sob uma filosofia de tradução mais flexível, mas baseada em exegese erudita e respeitada.

Mais recentemente foi lançada a Nova Versão Inter¬nacional (NVI), publicada em março de 2001 (Novo Testamento em 1994); trata-se de versão fiel ao sentido do original e em linguagem contemporânea.

AS DIFERENÇAS NOS MANUSCRITOS DA BÍBLIA

Antes da invenção da imprensa por volta de 1450, todos os livros eram escritos e copiados à mão. Uma obra escrita à mão é chamada manuscrito. As diferenças entre as cópias dos livros do Antigo ou do Novo Testamento são chamadas leituras variantes.


Não é de admirar que haja diferenças nos manuscritos antigos. O processo laborioso de cópia à mão levava inevitavelmente a erros acidentais. Além dos erros acidentais, parece que alguns escribas desviavam-se deliberadamente do texto que estavam copiando, com a intenção de corrigir erros anteriores.

A quantidade de variações nos manuscritos hebraicos do Antigo Testamento é relativamente pequena. A maior parte dos manuscritos, porém, é medieval — afastada dos originais em mais de mil anos. Exceções notáveis são os manuscritos de trechos relativamente pequenos do Antigo Testamento encontrados em Qumran e escritos por volta do início da era cristã, ou seja, alguns dos Manuscritos do Mar Morto.

Por causa do grande número de leituras variantes nos manuscritos bíblicos antigos, não é “simples” traduzir do hebraico ou grego para alguma língua moderna. Além de manuscritos hebraicos e gregos, os estudiosos também empregam as versões antigas (traduções) na tentativa de restaurar o texto original.

Um tipo de texto é um grupo de manuscritos, versões e citações antigos em grego que têm muito em comum. Em geral, o tipo considerado mais confiável é o alexandrino. Outro tipo reconhecido pela maioria dos estudiosos, mas nem todos, é o ocidental. Seus membros não têm tanto em comum entre si como os do tipo alexandrino e bizantino, mas remontam a meados do século II.

Retirado do livro:

Manual Bíblico Vida Nova - Excelente Leitura




AS ESCRITURAS E AS QUESTÕES INDIFERENTES 






A ORIGEM DA BÍBLIA SAGRADA


Vários manuscritos foram encontrados
no Mar Morto contendo cópias de
passagens do Antigo Testamento; tais
descobertas têm servido para
reforçar as provas da autenticidade
da Bíblia diante dos incrédulos
INTRODUÇÃO

Panorama Geral
a) Definição: A palavra Biblion (Bíblia) é de origem grega, e significa livrinhos ou coleção de livros.

b) Objetivo: A revelação da pessoa e da lei de Deus ao homem.

c) Significado atual: É o livro que representa a crença de todas as religiões que professam o cristianismo e/ou o Deus Jeová como a base de sua fé.

d) Aplicação pessoal: Fonte que transmite, além de conhecimento, profecias sobre
acontecimentos futuros e, de acordo com a fé individual, revelações através das pregações de seus textos.


Desde quando tirou seu povo do
Egito, Deus tem usado a escrita
como meio de levar ao homem o
conhecimento que o conduz à
salvação
HISTÓRIA

1 - O princípio
a) Deus se revela ao homem: Deus sempre procurou falar com a humanidade de alguma maneira: No princípio, Ele se revelou pessoalmente ao homem no jardim do Éden; e dessa mesma forma Ele também se comunicava com os seus servos, assim como Noé, Abraão e Moisés, entre vários outros; posteriormente, passou a falar com o povo através de homens escolhidos especificamente para exercer o ministério profético.

b) A Palavra divulgada por Jesus e a unção do Espírito Santo: Tempos depois, com a vinda de Cristo à terra, sua Palavra se expandiu ainda mais; após a crucificação, com a descida do Espírito Santo, Ele passou a falar diretamente com os homens sem a necessidade do uso de profetas.

c) A Palavra pregada pelos apóstolos: A partir daí, o evangelho foi grandemente divulgado pelos apóstolos, principalmente Paulo, em boa parte dos lugares habitados no mundo naquela época. Esses pioneiros da missão evangelística, deixaram seus valorosos trabalhos registrados em cartas e livros, os quais contém a Palavra de Deus pregada por eles, tendo por base a lei de Moisés, os livros poéticos, os históricos e os proféticos, mas sempre destacando enfaticamente os ensinamentos deixados por Jesus Cristo.


2 - A propagação da palavra séculos depois
a) A data e a autoria da Bíblia: A Bíblia Sagrada narra a história um período indefinido de tempo (desde a criação do mundo, até o Apocalipse de João em 96 d.C, aproximadamente, contendo também profecias de tempos futuros); ela foi escrita por cerca de 40 autores, inspirados por Deus, que viveram em lugares e épocas diferentes, e não se conheciam; mesmo assim, nela não há nenhuma contradição.

b) As línguas originais: O Antigo Testamento foi escrito em hebraico, com exceção apenas de alguns trechos escritos em Aramaico. O Novo Testamento foi escrito em grego.

c) A montagem da Bíblia: Ao longo dos anos, os arqueólogos foram encontrando, pouco a pouco, os rolos escritos em papiro (folhas de uma planta) e pergaminho (pele de animal) e juntaram-os como sendo um único livro.Todos os manuscritos originais do Antigo e do Novo testamento foram perdidos; os textos existentes hoje nas linguás originais são baseados em cópias dos documentos autênticos. Até pouco tempo atrás, o manuscrito completo do Antigo Testamento mais antigo era de 916 dC. Em 1946, foram achados vários manuscritos desses livros em onze cavernas de Qumram (situado a 2 quilômetros do oeste do extremo norte do mar Morto). A maior parte desses manuscritos é do primeiro século a.C. e do primeiro século d.C. Foram encontrados ali manuscritos quase inteiros, sendo os de Isaías os mais famosos, com partes de todos os livros do Antigo Testamento, menos de Ester. Além dos livros bíblicos, foram achados também fragmentos de livros apócrifos (obras literárias com conteúdo teológico, escritas na mesma época dos textos Sagrados, que não foram consideradas como inspiradas por Deus para fazerem parte da Bíblia) e de outros livros da seita dos Essênios (Seita do tempo de Cristo: Mais ou menos quatro mil homens que obedeciam rigorosamente a lei de Moisés. 

 Uns moravam em cidades, porém a maioria vivia em grupos, no deserto de En-Gedi. Eles não são mencionados na Bíblia), que ali os escondeu. Esses manuscritos são de grande importância para o estudo do texto original do Antigo Testamento, como também para se recompor o panorama histórico da época do início Novo Testamento.

d) As primeiras versões: No ano 382 dC, começou a ser elaborada a Vulgata Latina (tradução para o latim) por Jerônimo, a pedido de Dâmaso, que era o papa daquela época; este trabalho somente foi concluído em 404 dC. A primeira versão da Bíblia escrita em português, foi o Novo Testamento, traduzido por João Ferreira de Almeida em 1681.

e) A divisão em capítulos e versículos: O primeiro texto hebraico do Antigo Testamento foi dividido em versículos entre os séculos IX e X a.C., por estudiosos judeus chamados de massoretas; eles concluíram este trabalho por volta de 1230 aC. Em 1551, na frança, um impressor chamado Robert d'etiénne dividiu o Novo Testamento em versículos. Mas, no século XII, é que finalmente a Bíblia Sagrada foi totalmente divida em capítulos pelo teólogo inglês Stephen Langhton. Até o século XVI, as bíblias eram publicadas somente com a divisão em capítulos. Somente em 1560 é que foi publicada a primeira bíblia com os textos divididos em versículos (a Bíblia de Genebra, lançada na Suiça). A primeira versão da Bíblia em português (o Novo Testamento, traduzido por João Ferreira de Almeida em 1681), já foi lançada dividida em capítulos e versículos. A divisão dos textos do Livro Sagrado foi criada para facilitar a memorização e a localização de cada trecho da Palavra de Deus, facilitando assim, nosso estudo e nossa meditação.


Infelizmente, nem todas
as traduções ou estudos
bíblicos são confiáveis;
pois, com o passar do
tempo, para algumas
pessoas, o conhecimento
teológico tem se tornado
uma grande fonte de renda,
a qual tem melhor resultado
quando se distorce a
Palavra de acordo com a
necessidade e a vontade do
povo
A BÍBLIA HOJE

1 - Traduções
    Há atualmente mais de 2400 traduções da Bíblia; elas abrangem quase todos os países e idiomas existentes no mundo. Na língua portuguesa existem variadas traduções; algumas das mais conhecidas e utilizadas são:
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Revista e Corrigida - 1914
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Revista e corrigida - 1951
  • Tradução Brazileira - Soc. Bíblicas Unidas - 1953
  • Tradução Matos Soares - 1953
  • Tradução Figueiredo - 1962
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Revista e Atualizada no Brasil - 1969
  • A bíblia na linguagem de hoje (NTLH) - 1973.
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Melhores Textos - 1973
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Melhores textos - 1979
  • Bíblia "Mensagem de Deus" - 1983
  • A Bíblia de Jerusalém - 1985
  • Tradução do Novo Mundo -  1986
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Edição contemporânea - 1992
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Corrigida e fiel - 1994
  • Tradução João Ferreira de Almeida - Revista e corrigida - 2000.
  • Nova Versão Internacional (NVI) - 2000

2 - O Conteúdo* das Escrituras Sagradas
    Informações numéricas sobre sua escrita:
  • 2 testamentos (o Antigo e o Novo);
  • 66 livros (39 no Antigo e 27 no Novo);
  • 1.189 capítulos;
  • 31.173 versículos;
  • 773.692 palavras;
  • 3.566.480 letras.
* Alguns dados numéricos aqui apresentados podem variar de acordo com a tradução.



O avanço tecnológico tem contribuído
muito para a propagação da Palavra:
sites, blogs, redes sociais e
dispositivos eletrônicos têm
alcançado milhares de pessoas
diariamente com a mensagem do
Evangelho
CONCLUSÃO

    Essa vasta biblioteca espiritual traz um belo e rico conteúdo histórico, geográfico, científico, linguístico e cultural que nos proporciona conhecimento sobre várias fases da humanidade. Através desses livros, o Senhor Deus se fez conhecer dando-nos oportunidade de salvação pelo conhecimento da sua Palavra; sem a Bíblia, seus mandamentos e a história do cristianismo poderiam ter se perdido, chegando a nós como lendas sem crédito e totalmente distorcida. De fato, as diferentes religiões acabam dando diversas e errôneas interpretações para cada passagem bíblica, causando assim muita confusão na mente daqueles que não a entendem; é por isso que se faz tão importante o estudo e a busca do conhecimento mediante a orientação do Espírito Santo. Mais do que um livro de regras e doutrinas, a Bíblia Sagrada é um canal de contato entre o homem e Deus.


Jonas M. Olímpio

Escola Bíblica Virtual



A VOCAÇÃO DO EVANGELHO 







POR QUE ACREDITAR NA BÍBLIA?







Princípios Gerais da Bíblia 

Há ampla evidência de que o diabo pode pegar textos da Escritura e torcê-los para enganar as pessoas. Com certeza isso está dentro do poder de Satanás. Não é difícil colocar sons ou letras na mente de alguém, e , se satanás tem poder para fazer isso, tem poder também para colocar palavras que fazem parte da Bíblia. 


Não há nada melhor para a emoção surgir a partir de um texto bíblico do que uma historieta ou um cântico. As Escrituras não são um texto tão intocável que o diabo não ouse abusar ou tocar nelas. Ele ousou desafiar o próprio Cristo no deserto, levou-o daqui para lá, para o alto de uma montanha e para o pináculo do templo. Ele não tem medo de tocar na Escritura nem de torcer seu significado para atingir seus propósitos.

Podemos ver como ele citou um texto após o outro para Cristo na tentativa de enganá-lo. Da mesma forma, ele pode tentar enganar as pessoas hoje com textos bíblicos. Pode citar uma pilha de promessas escriturísticas a um pobre pecador enganado e aplicá-las de maneira incorreta, usando-as para remover dúvidas que surjam, ou para confirmar alegria e confiança falsas.

Da mesma forma, professores corruptos e falsos podem distorcer a Escritura, e o fazem, levando à destruição deles mesmos e também dos outros e de muitos fiéis. (II Pe 3.16). Vemos como usam com liberdade a Palavra, sem considerar nenhum trecho precioso ou sagrado demais para temerem torcer o seu significado, para ruína eterna de multidões. O coração humano é enganoso como o diabo, e o Ser Humano usam as mesmas armas para enganar.

. Alguns princípios a tomar: 


1- Trabalhe partindo da pressuposição de que a Bíblia tem autoridade.
2- A Bíblia é Seu interprete
3- A fé e o Espírito Santo são indispensáveis para a compreensão e interpretação da Bíblia. Jo11:43
4- Não interprete a Escritura a luz da experiência pessoal.


Meus amados irmãos. Entendam que a leitura da Palavra de Deus é fundamental para sua vida e ministério, e sem ela não há nenhuma diferença entre você e o não cristão, porque o que caracteriza um bom e autêntico cristão é o seu relacionamento com Deus e com a Bíblia, portanto, precisamos resgatar o nosso compromisso com a Bíblia mais do que nunca.


Leia o livro: Uma fé mais forte do que as emoções / Jonathan Edwards.






A Importância da Bíblia para o Crescimento Saudável da Igreja

O crescimento da igreja é um dos temas mais discutidos na atualidade. Todo pastor anseia ver sua igreja crescer. A igreja sadia deve crescer, precisa crescer! Se não cresce, é porque está enferma. Fidelidade e esterilidade não podem viver juntas sem grandes conflitos. Concordo com Rick Warren, quando afirma: “Pergunta errada: o que fará nossa igreja crescer? Pergunta certa: o que está impedindo nossa igreja crescer?”.

Na busca pelo crescimento da igreja, muitos pastores estão negociando valores inegociáveis. Estão pregando o que funciona, e não o que é certo, preceituado pela Palavra de Deus.


. Há quatro desvios em relação às Escrituras que são verdadeiros perigos que atentam fortemente contra o crescimento saudável da igreja em nossos dias:


O liberalismo teológico 

 – O liberalismo teológico tenta esvaziar a Escritura, desacreditando sua veracidade, negando, assim, sua inerrância. Onde ele chega, mata a igreja. O liberalismo teológico coloca a razão acima das Escrituras. Ele começa nos seminários, desce aos púlpitos e daí mata a igreja. Há muitas igrejas mortas na Europa, na América do Norte e também no Brasil em função do liberalismo teológico.

O Sincretismo religioso 

 – O sincretismo religioso esvazia a Escritura acrescentando a ela o experiencialismo, negando, assim, sua suficiência. Nossa cultura é profundamente mística. Somos uma mistura de raças e de crenças como a pajelança indígena, a idolatria do romanismo, o cardecismo europeu e os cultos afro-brasileiros. Hoje muitas igrejas mudaram o rótulo, mas mantêm o povo preso ao mesmo misticismo: sal grasso, óleo santo, copo d’água em cima da televisão e outras coisas que tem a mesma natureza ou qualidades (cimento da prosperidade, gruta dos milagres, rosa vermelha, lenço ungido, e etc.).

O sincretismo religioso, esvazia a autoridade da Escritura, pois embora creia na sua suficiência, não a coloca em prática. Na verdade, aqueles que são adeptos do sincretismo religioso, são tão mortíferos para a verdadeira ortodoxia quanto os liberais, pois eles falam que crêem na Bíblia, mas buscam experiências fora das Escrituras para conduzir sua vida.

A ortodoxia morta 

 – A ortodoxia morta também esvazia a autoridade da Escritura, pois embora creia na sua infalibilidade, não a coloca em prática. Existem muitas pessoas na atualidade que não vivem o que professam. A vida do pregador fala mais alto que os seus sermões. A ação fala mais que as palavras. Exemplos influenciam mais que preceitos. E.M.Bounds disse que “homens mortos tiram de si sermões mortos e sermões mortos, matam”. Martinho Lutero dizia que sermão sem unção endurece o coração. A. N. Martin diz que a pregação poderosa está enraizada no solo da vida do pregador. Charles Haddon Spurgeon alertava os seus alunos dizendo-lhes que o mais maligno servo de Satanás é o ministro infiel do evangelho.

A superficialidade no púlpito 

 – O analfabetismo bíblico esvazia a Escritura por não lhe dar o devido valor. Muitos pastores são preguiçosos, não estudam, não alimentam o povo com a Palavra. Dão palha em vez de pão ao povo. Outros alimentam o povo de Deus com uma sopa rala feita dos mesmos ossos. Não é sem motivo que vemos tantos crentes desnutridos espiritualmente, andando de um lado para outro, em busca de algo que lhes sacie a fome. Falta fome da Palavra na igreja brasileira.

O missionário Ronaldo Lindório, trabalhando entre os Konkombas, em Ghana, experimentou grandes maravilhas divinas como resultado da fiel pregação da Palavra. Em nove anos de trabalho missionário, plantou 23 igrejas com cinco mil pessoas convertidas entre tribos animistas e feiticeiras.


Os céus se fenderam e Deus desceu com grande poder, curando enfermos, salvando feiticeiros e libertando cativos. Ronaldo traduziu o Novo Testamento para a língua nativa desse povo até então não alcançado pelo evangelho. Mas, antes do Novo Testamento ser vertido para a língua Konkomba, uma mulher de setenta anos fez uma viagem de quatro dias a pé até a aldeia onde morava o missionário Ronaldo para decorar treze versículos da Palavra de Deus. Ao regressar para a sua casa, depois de dois dias de viagem, esqueceu-se de um versículo. Ela só conseguiu se lembrar de doze; então, regressou do meio do caminho e voltou à aldeia onde estava o missionário para memorizar o versículo perdido e justificou: “A Palavra de Deus é muito preciosa para ficar perdida no meio do caminho”.


Somente através da fiel pregação poderemos ver e experimentar um real crescimento na igreja. Que Deus nos ajude a sermos mais zelosos para com a Sua Palavra. Deus o abençoe!


http://ipcm.blogspot.com






A BÍBLIA E AS SEITAS...

2 PEDRO 2:1-3


Toda heresia origina-se de uma distorção na interpretação do texto bíblico. Por isso, a melhor forma de tornar-se invulnerável aos falsos ensinos é saber usar com destreza a “espada do Espírito, que é a Palavra de Deus”, Efésios 6:17.



I- NÃO ACEITAÇÃO DA AUTORIDADE DAS ESCRITURAS.

A autoridade das Escrituras foi um dos pilares da Reforma religiosa do século XVI. Ensinaram os reformadores que a Bíblia é a Palavra de Deus, nossa única regra de fé e prática. No entanto, não são todos que se curvam diante dela. Vejamos algumas atitudes com relação à Palavra:

1. Ignorar o texto sagrado: O catolicismo lidera a fileira daqueles grupos que usam a Bíblia apenas como peça decorativa. Em um debate apresentado em rede nacional de televisão, um padre disse que a Bíblia é uma “fonte de princípios morais”, mas que não se pode afirmar que é a Palavra de Deus.
Isso expõe a verdadeira posição da Igreja Católica em relação à Bíblia. A discrepância entre a doutrina católica e os ensinos bíblicos é tão grande que basta a qualquer fiel bem intencionado começar a ler a Bíblia que logo estará abandonando sua religião. Foi exatamente por isso que durante muito tempo a Igreja Católica usou toda a sua influência e poder para ocultar a Bíblia de seus fiéis.


Hoje, como isso não é Mais possível, resolveu mudar sua aparência, imitando os evangélicos. Alguns segmentos orientam seus fiéis a carregarem a Bíblia, dizem crer nos dons espirituais e apropriam-se dos cânticos criados pelos evangélicos. Mas ninguém se engane, pois a essência continua a mesma: paganismo vestido de Cristianismo.


Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o catolicismo não é sinônimo de Cristianismo. Desenvolveu-se a partir do IV século, quando o imperador Constantino abriu as portas da Igreja para o sincretismo religioso. Desde então, catolicismo, espiritismo e paganismo vivem em perfeita harmonia.

2. SUBSTITUIR O TEXTO SAGRADO: 


Os Mórmons exemplificam aqueles que acreditam ter uma revelação superior à da Bíblia Sagrada. Defendem que a Bíblia foi revelada para os judeus e o Livro dos Mórmons para nós.

3. USAR OUTROS TEXTOS TIDOS COMO SAGRADOS, ALÉM DA BÍBLIA: 


Os Adventistas, por exemplo, adicionaram outros livros e revelações à base de sua fé. Para eles e para outros grupos, a Bíblia não é suficiente como revelação de Deus. Na verdade, esses escritos adicionais passaram a ter mais autoridade, para esses grupos, que a própria Bíblia. Agir assim é trocar o sagrado pelo humano. É abandonar o infalível e contentar-se com o falível. Mas não se engane, todos serão julgados pela Palavra de Deus, Jo 5:38,39; 6:67-69; 12:47-49; 15:22.

“ Abandonar as Escrituras Sagradas e iludir-se com invenções humanas é cometer o mesmo erro que o povo de Israel nos dias do profeta Jeremias. É a mesma coisa que deixar a fonte de água viva e cavar para si cisternas rasas e vazias, Jr 2:12,13; 2 Pe 1:16.

4. ALTERAR DO TEXTO SAGRADO. 


A Bíblia é a Palavra de Deus e não pode ser modificada, Dt 4:2. Ela permanece eternamente sem que caia sequer um til, 1 Pe 1:23-25; Mt 24:35; Lc 16:16,17. Qualquer alteração é terminantemente proibida pelo próprio Deus e representa imensos perigos espirituais, Ap 22:6,18,19.

Apesar disso, a seita das chamadas “ Testemunhas de Jeová”, com sua versão espúria da Bíblia, a tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, é o exemplo mais conhecido atualmente de alteração do texto sagrado para defesa de princípios antibíblicos. Veja, por exemplo, como traduzem Jo 1:1: “ No princípio era a Palavra , e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era deus”. Observe, também, Jo 1:14: “ De modo que a Palavra se tornou carne e residiu entre nós, e observamos a sua glória, uma glória tal como a de um filho unigênito dum pai”[ grifo nosso, para dar ênfase]. Expressões assim são usadas para negar a divindade de Jesus.


As testemunhas de Jeová também negam que o Espírito Santo seja uma pessoa, conforme cremos. Por isso, em textos como Atos 1:8; 13:2, etc, o nome Espírito Santo é grafado com letras minúsculas.


As pessoas da Trindade têm funções primordiais diferentes em relação ao mundo. Quando o universo foi criado, Deus Pai proferiu as potentes palavras criadoras que o geraram; Deus Filho foi o agente divino que executou essas palavras ( Jo 1:3; 1 Co 8:6; Cl 1:16; Hb 1:2) e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas” ( Gn 1:2).


A tradução das testemunhas de Jeová é resultado de uma distorção intencional do texto bíblico com a finalidade de fazer a Bíblia encaixar em suas doutrinas, uma vez que seus ensinos jamais acharão guarida nas Escrituras Sagradas.


II- A MÁ INTERPRETAÇÃO DO TEXTO SAGRADO.


O surgimento da maioria das seitas heréticas decorre de distorções e interpretações incorretas das Escrituras. Normalmente o texto é analisado fora de seu contexto original e a ele é dado um significado novo que o amolda às intenções de cada grupo herético, 2 Pe 3:16.


Por problemas na interpretação do texto é que existem Igrejas que acreditam ser antibíblica a função de pastor ( Ef 4:11-16), a entrega dos dízimos ( Ml 3:8-11; Mt 23:23), o batismo na forma ensinada por Jesus (Mt 28: 18-20), a doutrina da tri- unidade divina. Por isso, o cristão sincero deve estudar a Bíblia com seriedade, procurando um entendimento correto da Palavra.


Aqueles que acreditam ter uma palavra melhor que a de Deus e substituem as Escrituras pelo fruto de sua própria imaginação cometem o mesmo erro do rei Saul. Ele tinha uma palavra expressa da parte de Deus, mas resolveu alterá-la, 1 Sm 13:13. Acreditou que obteria melhores resultados. Entretanto, a conseqüência imediata foi rejeição diante de Deus, 1 Sm 15: 18-23. Daí para frente acumulou derrota após derrota, até cometer suicídio.


A observação é como um cirurgião abrindo uma região afetada. Ele verifica um tumor, ou talvez uma hemorragia, um tecido com pigmentação anormal ou uma obstrução. A averiguação surge as perguntas: “ Que significa isso? Como pode ser explicado? Que tipo de tumor deve ser? Qual a causa da hemorragia? Por que o tecido está com essa coloração? Por que está havendo esta obstrução aqui?”. Devemos manejá-lo os textos bíblicos corretamente ( 2 Tm 2:15).


Se não aplicarmos as Escrituras, estaremos encurtando o processo como um todo e deixando incompleto o que Deus deseja que façamos.


O verdadeiro objetivo do estudo da Bíblia é a assimilação íntima, não a simples percepção mental. Somente assim o crente pode crescer espiritualmente.
A interpretação da Bíblia é uma das questões mais importantes que os cristãos enfrentam hoje. Dela resulta o que cremos, como vivemos, como nos relacionamos e o que temos a oferecer ao mundo. Quando transmitimos a Palavra de Deus, seja em aconselhamentos individuais, seja ensinando na escola dominical ou num grupo de estudo bíblico, seja pregando etc, o conhecimento que passamos com base no nosso entendimento das Escrituras, sem dúvida alguma, influenciará outras pessoas. Suas vidas estão em nossas mãos, ou seja, a nossa responsabilidade de ensinarmos a verdade, de fazermos verdadeiros discípulos.

Uma questão muito importante. Quando a Bíblia não é interpretada corretamente, a teologia de um indivíduo ou de toda uma igreja, pode ser desorientada ou superficial, e seu ministério desequilibrado.


Estudo ministrado na EBD, por Michael Rossane.
Série estudos Bíblicos-62 ; Ed. Aleluia.





    O Contrabandista de Deus / Livro   





SERÁ QUE É NECESSÁRIO INTERPRETAR A BÍBLIA?


  SERÁ QUE É NECESSÁRIO INTERPRETAR A BÍBLIA?

Ao começar o próprio estudo da hermenêutica, devemos nos perguntar se é realmente necessário interpretar a Bíblia. Algumas pessoas afirmam que não. Alguns acham que a Bíblia já foi escrita numa linguagem pura e simples de entender. Afinal, a Bíblia não é a Palavra de Deus para o povo de Deus? Deus nos mandaria uma mensagem difícil de entender?

Estas mesmas pessoas às vezes dizem “A Bíblia diz o que significa e significa o que diz.” Ou seja, não há necessidade de interpretar a Bíblia porque ela é clara. Segundo este raciocínio a mensagem da Bíblia não precisa ser explicada. Existe até medo de que no próprio processo de interpretar a Bíblia pensamentos humanos poderiam contaminar a mensagem original.

Vale a pena notar que as pessoas que afirmam que a Bíblia não precisa ser interpretada às vezes estão afirmando isso por causa de preocupações sinceras. Vamos examinar três destas preocupações.


1. Alguns tem a preocupação de que alguém poderia tentar se tornar intermediador oficial da Palavra de Deus.


Uma preocupação que algumas pessoas tem é por causa do medo de que alguém possa tentar se posicionar entre o Cristão e Deus como intermediador na forma de um intérprete oficial. Efetivamente, isto já aconteceu entre certas denominações nos primeiros séculos depois de Cristo. Até hoje, há grupos em que uma interpretação “oficial” é dada por alguns líderes e é esperado que todos os membros aceitem esta interpretação “oficial”.

Segundo esta preocupação, dizer que a Bíblia precisa ser interpretada é praticamente igual a dizer que o homem comum não tem acesso por meio da Bíblia a Deus Pai. Mas este raciocínio teria razão apenas se disséssemos que nenhuma parte da Bíblia poderia ser compreendida sem a ajuda da interpretação. São poucos os interpretes hoje em dia que ousaria tal afirmação.

A verdade é que o que é de mais importante na Bíblia, o evangelho puro e simples, é tão simples que pode ser compreendida por qualquer pessoa com as condições básicas de lógica e raciocínio. O evangelho foi divulgado no começo apenas verbalmente e até hoje continua sendo a mesma história simples e poderosa. Mas, isto não muda o fato de que há partes da Bíblia que são difíceis mesmo de compreender. Nestes casos, sim, precisamos de pessoas treinadas e preparadas para interpretar aquela mensagem.


O próprio apóstolo Pedro afirma isto em relação às cartas do apóstolo Paulo quando ele diz, falando de Paulo: “... como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas cousas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam...” (2 Pedro 3:15 b - 16 ARA).


Aqui vemos Pedro afirmando três verdades importantes:

1. Nem tudo nas cartas de Paulo era complicado, mas -
2. Há certas coisas “difíceis de entender” nas cartas dele.
3. Sempre existe a possibilidade de alguém “deturpar” a Palavra de Deus (ou seja, corromper ou perverter). Se a Palavra de Deus fosse inteiramente simples e clara para compreender, jamais seria possível alguém deturpá-la.


Se o próprio apóstolo Pedro, com todo seu conhecimento e experiência, poderia dizer que havia coisas nas cartas de Paulo que até ele admitia serem difíceis de entender, então é para ser esperado que um Cristão leigo e sem treinamento hoje teria também dificuldade em entender estas e outras coisas. Devemos lembrar aqui, que Pedro, diferente de nós hoje, não tinha que lidar com as mesmas diferenças de cultura ou língua quando ele lia as cartas de Paulo.

Estas barreiras que dificultam a compreensão de qualquer obra escrita são enfrentadas por todo Cristão que lê a Bíblia hoje em dia. Se o apóstolo Pedro tinha dificuldade em entender Paulo quando falava numa língua conhecida por ele, na sua própria cultura nativa, quanto mais difícil será para um Cristão dois mil anos depois numa outra língua e cultura muito distante daquela?

Também, devemos lembrar que sempre que um evangelista, missionário ou pastor prega uma mensagem para a igreja, ele já passou por um processo de interpretar a mensagem de Deus para daí formular o conteúdo da sua pregação. A única maneira de evitar qualquer interpretação seria se o pregador apenas lesse alguma passagem sem comentários. Na verdade, nem isso seria totalmente sem interpretação, porque o próprio ato da ênfase verbal é passível, por mais sutil que seja, de uma forma de interpretação.

Lendo a seguinte frase do Salmo 23 com a ênfase nas palavras em itálica podemos notar uma diferença de interpretação devido esta ênfase.


- O Senhor é o meu pastor e nada me faltará.
- O Senhor é o meu pastor e nada me faltará.
- O Senhor é o meu pastor e nada me faltará


Também, lembramos que, mesmo lendo o texto com o mínimo de ênfase nosso pregador ainda não escaparia do processo de interpretação desde que ele esteja lendo uma versão da Bíblia que fora uma tradução. Vamos examinar isto em mais detalhes um pouco mais adiante, mas é válido notar aqui, que toda e qualquer tradução passou por um processo de interpretação por parte dos tradutores e portanto aquele que lê a Bíblia fora o hebraico e grego original, quer queira, quer não, está sujeito àquele processo de interpretação.

Exemplos de traduções infelizes:

1 Cor 6:10:

NVI

“nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.”


ARA


“nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.”

Heb 13:17

NVI

Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles….


ARA


Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles;…


(A palavra traduzida “autoridade” na NVI não consta no original.)


Podemos ver como as traduções necessariamente interpretam a Palavra e podem levar os leitores a uma conclusão equivocada. Não podemos deixar de usar traduções. Mas, não devemos confiar em nenhuma tradução como completamente perfeita. É por isso que há necessidade de quem interpreta a Palavra. É por isso que é necessário reconhecer que, mesmo usando apenas a Bíblia, estamos sendo influenciado por decisões de interpretação, pois toda tradução é o fruto do processo de interpretação. Então, não há como escapar da necessidade de interpretação.


Sendo assim, é melhor o Cristão se preparar para lidar com a necessidade de interpretação. Podemos concluir também que, apesar de haver a necessidade de interpretação, não precisamos e nem devemos admitir que alguém se torne o intérprete oficial. A melhor proteção contra isso é o Cristão se preparando para examinar e confirmar as traduções e interpretações que ele certamente vai ouvir. Sendo assim, como os Bereanos que vamos avaliar tudo que ouvimos e verificar se o ensino e a doutrina que estamos recebendo é de fato a plena verdade de Deus.


Hermenêutica 




A Bíblia Não é Um Livro Comum

"O céu e a terra passarão, mas as minhas Palavras não hão de passar." (Mateus 24.35)

Existem muitos livros: o alcorão, o livro de Buda, o livro de Kardec, etc. Mas a Bíblia é um livro sobrenatural.

Foi escrita num período de 1.600 anos, por 40 escritores os mais variados possíveis; escreveram nas prisões, nas cavernas, nas fugas, nas viagens, nos prados, nos palácios, etc.

Nenhum livro do mundo tentou ser destruído como a Bíblia.

* Deocleciano (301-304 d.C) pensou que tinha destruído a Bíblia com sua perseguição. Curiosamente, sua imensa tumba é usada como igreja há mais de mil anos.

* Voltaire, no século 18, disse: "Eu detesto esse Jesus e a Bíblia. Vou expor a Bíblia cheia de erros e contradições. Cem anos depois da minha morte, não haverá mais cópias da Bíblia. Mas ele morreu de morte trágica. Seis semanas ficou possesso de demônios.


Seu quarto estava cheio de visitas. Disse, olhando para a vela: Estou perdido. Após a sua morte, a Sociedade Bíblica comprou a casa de Voltaire e passou a imprimir Bíblias. Sabe por que? Porque é o livro de Deus.

Quem o pode destruir?


A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS


Leitura Bíblica 


A Credibilidade da Bíblia / Traduções Antigas


TRADUÇÕES ANTIGAS

  Miqueias 7 Desde a descoberta dos rolos do mar Morto, as versões ou traduções antigas da Bíblia tornaram-se menos importantes para estabelecer o texto original do A.T. No entanto, as leituras que diferem do texto Massorético ainda são avaliadas em pelo menos quatro versões antigas: a Septuaginta (grega), os Targuns (aramaicos), a Peshita (siríaca) e a Vulgata (latina). 


 . Septuaginta (grega). A versão mais importante é a Septuaginta, que contém a tradução grega da Bíblia hebraica, além algumas obras gregas não canônicas conhecidas pelos cristãos protestantes como Apócrifos. 


  Sua origem. O título "Septuaginta" (Lat. "setenta") deriva da tradição de que 72 tradutores disponibilizaram o Pentateuco no idioma grego por volta de 285 a.C. Originariamente destinada aos judeus de fala grega no Egito, a Septuaginta foi concluída por vários tradutores em Alexandria ou nas proximidades, entre os séculos III e II a.C. Por ser a Bíblia da Igreja primitiva, é citada muitas vezes no NT e também pelos pais da Igreja.  


 Sua estrutura. A Septuaginta é organizada desta forma: o Pentateuco, seguido pelos Livros Históricos, Poéticos, de Sabedoria e Proféticos. A ordem da Septuaginta é seguida livremente por outras traduções.


  Seu texto original. Não temos nenhuma cópia perfeita da Septuaginta original, que foi revisada muitas vezes. Até agora, os estudiosos conseguiram reconstruir boa parte do texto, e o trabalho está avançando.


  Sua qualidade. A qualidade do texto da Septuaginta é variada, em razão do trabalho de numerosos tradutores em épocas diferentes e com capacidades e estilos diversos (variando desde o rigorosamente literal até a paráfrase). 


 Comparação com o Texto Massorético. A Septuaginta é semelhante ao Texto Massorético (Hebraico). Nas traduções em outros idiomas, muitas partes são quase idênticas. Apesar disso, às vezes os dois textos diferem bastante. 


 Seu valor. A Septuaginta é a versão mais apropriada para estabelecer o texto original do AT, por estes motivos: 1) é a tradução mais antiga do AT completo; 2) é bem atestada em numerosos manuscritos; 3) difere em várias passagens importantes do Texto Massorético, proporcionando uma tradução alternativa nesses pontos. 

 . Targuns (aramaicos). Não se trata de um único trabalho, mas de uma série de interpretações dos livros do AT.

  Sua origem. Assim como o grego se tornou o idioma comum entre os judeus no Egito, o aramaico substituiu o hebraico entre os judeus da Palestina e da Mesopotâmia. A tradição judaica data os Targuns do tempo de Esdras (Ne 8.8), porém os mais antigos fragmentos, descobertos entre os Rolos do mar Morto, datam da época de Cristo, aproximadamente. A tradição dos Targuns culminou entre os séculos III e V d.C., com a produção dos Targuns rabínicos oficiais sobre a Torá (Targum de Ônquelos) e sobre os Profetas (Targum de Jônatas). 


  Sua qualidade e seu valor. Os Targuns constituem uma tradução parafraseada, em geral acompanhada de comentários e explicações. São, portanto, traduzidos de forma livre e interpretativa e repletos de comentários, o que torna difícil seu uso para confirmar o texto original. 


 . Peshita (siríaca). A Bíblia autorizada pela igreja síria é a Peshita (que significa "simples" ou "direto"). Não há como determinar se a origem da Peshita (AT) é cristã ou judaica. Em sua forma mais antiga, datando no máximo do século IV d.C., a Peshita era uma tradução relativamente literal de um texto hebraico semelhante ao Texto Massorético. Contudo, no tempo apropriado, a tradução siríaca foi atualizada, e o texto foi polido. No entanto, ainda há vestígios do original.


. Vulgata (latina). Em meados do século IV d.C, a Bíblia cristã da igreja ocidental era a tradução latina da Septuaginta, mas entre 390 e 405 d.C., o estudioso cristão Jerônimo reivindicou "a veracidade do texto hebraico". Ajudado por versões posteriores da Septuaginta, traduziu o A.T hebraico para o latim. Seu trabalho agora compõe a porção veterotestamentária da Bíblia latina, a Vulgata ("comum" ou "popular"). Pelo fato de Jerônimo se apoiar amplamente na Septuaginta e de sua tradução variar quanto à literalidade, o AT da Vulgata precisa ser usado com cautela no que diz respeito ao testemunho sobre o original hebraico.


  Quando o hebraico do texto Massorético é comparado com o material encontrado entre os Rolos do mar Morto e com várias outras versões, ele se mostra, na vasta maioria dos casos, digno de respeito, pois reflete com precisão as palavras originais dos autores sagrados. 


Bíblia de Estudo Arqueológica



Quem foram os autores dos livros da Bíblia?

Pergunta: "Quem foram os autores dos livros da Bíblia?"

Resposta: 
Além dos autores humanos, a Bíblia foi essencialmente escrita por Deus. 2 Timóteo 3:16 nos diz que a Bíblia foi "inspirada" por Deus. Deus supervisionou os autores humanos da Bíblia de tal forma que, enquanto cada um usou o seu próprio estilo de escrever e personalidade, eles ainda registraram exatamente o que Deus queria que dissessem. A Bíblia não foi ditada por Deus, mas foi perfeitamente guiada e completamente inspirada por Ele. 

Humanamente falando, a Bíblia foi escrita por aproximadamente 40 homens de diversos estilos de vida diferentes, durante um período de 1500 anos. 

Isaías era um profeta, Esdras era um sacerdote, Mateus um coletor de impostos, João era um pescador, Paulo era um fabricante de tendas, Moisés era um pastor. Apesar de ter sido escrita por autores diferentes durante 15 séculos, a Bíblia não se contradiz e não contém erros. Todos os autores apresentam perspectivas diferentes, mas todos proclamam o mesmo Deus único e verdadeiro, e o mesmo único caminho para salvação – Jesus Cristo (João 14:6; Atos 4:12). 

Poucos dos livros da Bíblia nomeiam especificamente o seu autor. Veja a seguir uma lista dos livros da Bíblia com o nome de quem os estudiosos acreditam ter sido o autor humano, assim como a data aproximada de quando cada um foi escrito. 

Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio = Moisés – 1400 A.C.
Josué = Josué – 1350 A.C.
Juízes, Rute, 1 Samuel, 2 Samuel = Samuel / Natã / Gade – 1000 – 900 A.C.
1 Reis, 2 Reis = Jeremias – 600 A.C.
1 Crônicas, 2 Crônicas, Esdras, Neemias = Esdras – 450 A.C.
Ester = Mardoqueu – 400 A.C.
Jó = Moisés – 1400 A.C.
Salmos = vários autores diferentes, grande parte foi escrita por Davi – 1000 – 400 A.C.
Provérbios, Eclesiastes, Cânticos = Salomão – 900 A.C.
Isaías = Isaías – 700 A.C.
Jeremias, Lamentações = Jeremias – 600 A.C.
Ezequiel = Ezequiel – 550 A.C.
Daniel = Daniel - 550 A.C.
Oséias = Oséias – 750 A.C.
Joel = Joel – 850 A.C.
Amós = Amós – 750 A.C.
Obadias = Obadias – 600 A.C.
Jonas = Jonas – 700 A.C.
Miquéias = Miquéias – 700 A.C.
Naum = Naum – 650 A.C.
Habacuque = Habacuque – 600 A.C.
Sofonias = Sofonias – 650 A.C.
Ageu = Ageu – 520 A.C.
Zacarias = Zacarias – 500 A.C.
Malaquias = Malaquias – 430 A.C.
Mateus = Mateus – 55 D.C.
Marcos = João Marcos – 50 D.C.
Lucas = Lucas – 60 D.C.
João = João 90 D.C.
Atos = Lucas – 65 D.C.
Romanos, 1 Coríntios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 Tessalonicenses, 2 Tessalonicenses, 1 Timóteo, 2 Timóteo, Tito, Filemom = Paulo, 50-70 D.C.
Hebreus = Desconhecido, talvez Paulo, Lucas, Barnabás ou Apolo – 65 D.C.
Tiago = Tiago – 45 D.C.
1 Pedro, 2 Pedro = Pedro – 60 D.C.
1 João, 2 João, 3 João = João - 90 D.C.
Judas = Judas – 60 D.C.
Apocalipse = João – 90 D.C.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

E SE FOSSE VOCÊ?

E SE FOSSE VOCÊ?

Postagens populares

.

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!
Você deseja honrar o corpo de Cristo? Não o ignore quando ele está nu. Não o homenageie no templo vestido com seda quando o negligencia do lado de fora, onde ele está malvestido e passando frio. Ele que disse "Este é o meu corpo" é o mesmo que diz "Tu me vistes faminto e não me destes comida" e «quantas vezes o fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes» (Mateus 25:40)... Que importa se a mesa eucarística está lotada de cálices de ouro quando seu irmão está morrendo de fome? Comeces satisfazendo a fome dele e, depois, com o que sobrar, poderás adornar também o altar.

João Crisóstomo, Comentário sobre Mateus

♛ Uma das características mais recorrentes das homilias de João Crisóstomo (347-407) é sua ênfase no cuidado com os necessitados. Ecoando temas do Evangelho de Mateus, ele exorta os ricos a abandonarem o materialismo para ajudar os pobres, empregando todas as suas habilidades retóricas para envergonhar os ricos e obrigá-los a abandonar o consumismo mais conspícuo:


“Honras de tal forma teus excrementos a ponto de recebê-los em vasilhas de prata quando outro homem criado à imagem de Deus está morrendo de frio?”


— João Crisóstomo