terça-feira, 3 de julho de 2012

Portal Teologia & Missões

*Falsa Identidade / Livro de Peter Jones

QUEM É O VERDADEIRO JESUS


Ele é Jesus gnóstico, místico e iluminado, um sábio misterioso cujos ensinos estão além da história humana? Ou ele é o Jesus bíblico, humano e divino, um salvador que pode ainda hoje ser conhecido pessoalmente? Os gnósticos afirmam que a igreja cristã roubou a verdadeira identidade de Jesus, conspirando para tornar um simples homem em um deus; enquanto os cristãos argumentam que os gnósticos têm tentado reinventar Jesus como um profeta pagão, negando sua divindade. 


Temos como saber qual dessas visões radicais é verdadeira? Em Falsa identidade, o Dr. Peter Jones, de modo completo e acessível, investiga os argumentos gnóstico e bíblico, comparando o entendimento que cada Jesus teria de Deus, de sua divindade, sua espiritualidade, sua visão da sexualidade e seu propósito de ser no mundo.


O Dr. Jones provê objetivamente perspectivas completas de ambos os pontos de vista. Desse modo você terá a evidência de que precisa para decidir por si mesmo qual é a verdadeira identidade de Jesus.


 Na terra, os discípulos de Jesus realizaram boas obras para a glória do Pai que está nos céus. Aquilo que Jesus exigia de seus discípulos ele o praticava: "De modo que o povo se maravilhou ao ver que os mudos falavam, os aleijados recobravam saúde, os coxos andavam e os cegos viam. Então, glorificavam ao Deus de Israel". A terra ou a natureza não são cultuadas como divinas, mas servem para glorificar o seu Criador. A terra é o lugar dado por Deus, onde devemos servi-lo. Tentar encontrar na natureza tudo de que precisamos é uma tentação sempre presente. Essa, diz Jesus, é a grande luta espiritual. "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas".


   Quais são esses dois senhores? Jesus deu a resposta: Deus e as riquezas (ou as coisas terrenas, de acordo com a versão King James). Desse modo, Jesus respondeu ao tentador usando uma afirmação indubitável do Antigo Testamento: "Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto".


   Paulo, um dos apóstolos designados pelo Jesus ressurreto, menciona apenas duas maneiras de ser religioso. Ambas envolvem cultuar e servir. Paulo percebeu a luta espiritual e a definiu de maneira semelhante àquela usada por Jesus. Escrevendo à igreja do século 1° na Roma pagã, Paulo descreve a condição humana de rebelião contra Deus, o Criador, nos seguintes termos:


   "Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre". Consideremos as várias semelhanças:


 . A expressão de Paulo "coisas criadas" lembra a expressão de Jesus "riquezas" ou "coisas terrenas".
 . O "Criador, que é bendito para sempre" em Paulo, relembra a afirmação de Jesus "Deus".
 . A expressão de Paulo, "a verdade... pela mentira", nos remete imediatamente ao ensino de Jesus sobre "luz e trevas", e, no capítulo seguinte, às suas palavras sobre o "caminho espaçoso e a porta estreita".
 . As palavras de Paulo "adoraram e serviram" relembram a afirmação de Jesus: "Ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele darás culto".


     Em outras palavras, tanto Jesus quanto Paulo associam certo tipo de culto e serviço a determinado conceito de Deus. De fato, ambos identificaram apenas dois. Um tipo de culto ou espiritualidade é falso e conduz à destruição. O outro é verdadeiro e conduz á vida.


 Dr. Peter Jones (MDiv pelo Gordon-Conwell Theological Seminary, ThM pela Harvard Divinity School, e PhD pelo Princeton Theological Seminary) é professor de Novo Testamento no Westminster Seminary, em Escondido, Califórnia, e também é autor de vários livros.


http://produto.mercadolivre.com.br

Portal Teologia & Missões

About Portal Teologia & Missões -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :