quinta-feira, 28 de maio de 2009

Portal Teologia & Missões

* Homens, cuidado com as Tentações

HOMENS: CUIDADO COM AS TENTAÇÕES!

Por: Patrick Morley - 01/05/1999

Homens e mulheres respondem à tentação de maneiras diferentes. As mulheres tendem a fugir da tentação enquanto os homens têm a tendência de 'nadar contra a correnteza' e esperar a tentação passar.

Nenhum homem deseja cair na tentação propositadamente. Todos os dias nós ouvimos de homens, homens cristãos, que caem. A menos que um homem permaneça eternamente vigilante, os seus próprios maus desejos o levarão a cair em tentação e pecado.

Algumas tentações que os homens enfrentam:

· Negligência emocional:

Os homens são tentados a não dar às suas esposas as coisas que elas mais desejam: envolvimento emocional e intimidade; compartilhar a si mesma em um nível profundo, e esperam o mesmo do seu esposo. Deus ordenou: 'Maridos, amem as suas esposas, assim como Cristo amou a igreja' (Ef 5:25). A Bíblia não dá instruções similares às mulheres porque as esposas naturalmente desejam um relacionamento amoroso mais íntimo. Para os homens, isto deve ser aprendido.

· Desejo:

Os homens se tornam sexualmente estimulados visualmente. Quando, ocasionalmente, um homem olha e deseja, não significa que ele está deixando de amar a sua esposa. Ele está sendo tentado - física e espiritualmente. Nós vivemos em uma cultura super-estimulada sexualmente em que muitos homens têm drenadas, pela constante exposição, as suas energias espirituais e morais necessárias para resistir á tentação. A melhor maneira de resistir à tentação é fugir dela.

· Falsos deuses:


Você deve ter apenas um deus. Muitos homens tentam adorar um ídolo e Deus. Isto também é impossível. Idolatria é o erro de dar adoração e honra a qualquer poder ou objeto que não seja o próprio Deus. Devemos ir a Jesus Cristo e a ninguém mais. E qualquer coisa que não seja Ele nunca nos satisfará (i.e. realizações, dinheiro, prazer, possessões, poder, prestígio ou posição).

· Dinheiro e dívidas:

Os homens acham o dinheiro intoxicante. Jesus colocou o dinheiro como o seu competidor-chefe: 'Vocês não podem servir a Deus e as riquezas' (Mt 6:24). O homem não é apenas tentado a ganhar mais dinheiro, mas também a gastar mais dinheiro do que ele pode repor. A tentação não é amar a Deus ou ao dinheiro. A tentação é amar a ambos. Viver livre de dívidas dentro das suas possibilidades tendo Jesus Cristo como o Deus de sua vida é o objetivo.

· Lamúrias e ressentimentos:

A Bíblia fala das pessoas que se queixam da suficiência do cuidado de Deus. Quando os homens vêem outros avançando mais rapidamente, frequentemente ressentimentos, ciúmes, inveja e amargura crescem dentro dele. Em geral, endurecem os seus egos. O meio de vencer esta tentação é aceitar que muitas vezes na vida vamos perder e olhar estas coisas de um ponto de vista positivo. Paulo disse: "Eu aprendi a viver contente em todas as circunstâncias" (Fp 4:11).

· Orgulho:

Orgulho teimoso frequentemente faz com que um homem evite humilhar a si mesmo e admitir que está errado. A tentação do orgulho vem de muitas maneiras. A forma mais comum é a de um homem olhar os outros com desdém, como se eles fossem menos que ele. Este é o pecado da comparação, no qual um homem compara as suas (aparentes) forças com as fraquezas de outro. Igualmente insidiosa é a tentação para o homem olhar com desgosto para outros que têm se saído melhor que ele. O orgulho pode fazer com que alguns homens achem que estão acima dos chamados "toques emocionais" e então negligenciar emocionalmente as suas esposas.

Como Jesus Venceu as Tentações:

Na luta do cristão contra o diabo, o principal campo de batalha é a tentação. O discípulo precisa vencer o inimigo superando as tentações. Não estamos sós, contudo. Jesus tornou-se um homem, foi tentado como somos, obteve a vitória, assim mostrando como nós podemos triunfar sobre Satanás (note Hebreus 2:17-18; 4:15). É essencial, portanto, que analisemos cuidadosamente de que forma Jesus venceu.

Embora Jesus foi tentado várias vezes, ele enfrentou um teste especialmente severo logo depois que foi batizado. Lucas recorda este evento (Lucas 4:1-13), mas seguiremos a história conforme Mateus a conta: "A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome" (Mateus 4:1-2). Pelo fato que foi o Espírito que levou Jesus para o deserto mostra que Deus pretendia que Jesus fosse totalmente humano e sofresse tentação. Note estas três tentativas de Satanás para seduzir Jesus.

Primeira Tentação

· A afirmação do diabo: "Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães" (4:3). O diabo é um mestre das coisas aparentemente lógicas. Jesus estava faminto; ele tinha poder para transformar as pedras em pão. O diabo simplesmente sugeriu que ele tirasse vantagem de seu privilégio especial para prover sua necessidade imediata.

· As questões: Era verdade que Jesus necessitava de alimento para sobreviver. Mas a questão era como ele o obteria. Lembre-se de que foi Deus quem o conduziu a um deserto sem alimento. O diabo aconselhou Jesus a agir independentemente e encontrar seus próprios meios para suprir sua necessidade. Confiará ele em Deus ou se alimentará a seu próprio modo? Há aqui, também, uma questão mais básica: Como Jesus usará suas aptidões? O grande poder que Jesus tinha seria usado como uma lâmpada de Aladim, para gratificar seus desejos pessoais? A tentação era ressaltar demais os privilégios de sua divindade e minimizar as responsabilidades de sua humanidade. E isto era crucial, porque o plano de Deus era que Jesus enfrentasse a tentação na área de sua humanidade, usando somente os recursos que todos nós temos a nossa disposição.

· A resposta de Jesus: "Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (4:4). Em cada teste, Jesus se voltava para as Escrituras, usando um meio que nós também podemos empregar para superar a tentação. A passagem que ele citou foi a mais adequada naquela situação. No contexto, os israelitas tinham aprendido durante seus 40 anos no deserto que eles deveriam esperar e confiar no Senhor para conseguir alimento, e não tentar conceber seus próprios esquemas para se sustentarem.


· Lições: 1. O diabo ataca as nossas fraquezas. Ele não se acanha em provar nossas áreas mais vulneráveis. Depois de jejuar 40 dias, Jesus estava faminto. Daí, a tentação de fazer alimento de uma maneira não autorizada. Satanás escolhe justamente aquela tentação à qual somos mais vulneráveis, no momento. De fato, as tentações são frequentemente ligadas a sofrimento ou desejos físicos.

2. A tentação parece razoável. O errado frequentemente parece certo. Um homem "tem que comer" . Muitas pessoas sentem que necessidades pessoais as isentam da responsabilidade de obedecer às leis de Deus.

3. Precisamos confiar em Deus. Jesus precisava de alimento, sim. Porém, mais do que isso, precisava fazer a vontade do Pai. É sempre certo fazer o certo e sempre errado fazer o errado. Deus proverá o que ele achar melhor; meu dever é obedecer-lhe. É melhor morrer de fome do que desagradar ao Senhor.

Segunda Tentação

· A afirmação do diabo: "Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra" (4:5-6). Jesus tinha replicado à tentação anterior dizendo que confiava em cada palavra do Senhor. Aqui Satanás está dizendo: "Bem, se confia tanto em Deus, então experimenta-o. Verifica o sistema e vê se ele realmente cuidará de ti." E ele confirmou a tentação com um trecho das Escrituras.

· As questões: A questão é: Jesus confiará sem experimentar? Desde que Deus prometeu preservá-lo do perigo, é certo criar um perigo, só para ver se Deus realmente fará como disse?

· A resposta de Jesus: "Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus" (4:7). A confiança verdadeira aceita a palavra de Deus e não necessita testá-la.

· Lições: 1. O diabo cita a Escritura; ele põe como isca no seu anzol os versículos da Bíblia.

Pessoas frequentemente aceitam qualquer ensinamento, se está acompanhado por um bocado de versículos. Mas cuidado! O mesmo diabo que pode disfarçar-se como um anjo celestial (2 Coríntios 11:13-15) pode, certamente, deturpar as Escrituras para seus próprios propósitos. O diabo fez três enganos:

Primeiro, não tomou todas as Escrituras. Jesus replicou com: "Também está escrito". A verdade é a soma de tudo o que Deus diz; por isso precisamos estudar todos os ensinamentos das Escrituras a respeito de um determinado assunto para conhecer verdadeiramente a vontade de Deus.

Segundo, ele tomou a passagem fora do contexto. O Salmo 91, no contexto, conforta o homem que confia e depende do Senhor; ao homem que sente necessidade de testar o Senhor nada é prometido aqui.

Terceiro, Satanás usou uma passagem figurada literalmente. No contexto, o ponto não era uma proteção física, mas uma espiritual. Satanás é versátil. Jesus venceu em uma área, então o diabo se mudou para outra. Temos que estar sempre em guarda (1 Pedro 5:8). A confiança não experimenta, não continua pondo condições ao nosso serviço a Deus, e não continua exigindo mais prova. Em vista da abundante evidência que Deus apresentou, é perverso pedir a Deus para fazer algo mais para dar prova de si.

Terceira Tentação

A afirmação do diabo: "Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou- lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares" (4:8-9). Que tentação! O diabo deslumbrava com a torturante possibilidade de reinar sobre todos os reinos do mundo.

· As questões: A questão aqui não era tanto a de Jesus tornar-se um rei (Deus já lhe tinha prometido isso Salmo 2:7-9; Gênesis 49:10), mas de como e quando. O Senhor prometeu o reinado ao Filho depois de seu sofrimento (Hebreus 2:9). O diabo ofereceu um atalho: a coroa sem a cruz. Era um compromisso. Ele poderia governar todos os reinos do mundo e entregá-los ao Pai. Mas, no processo, o reino se tornaria impuro. Então as questões são: Como Jesus se tornaria rei? Você pode usar um meio errado e, no fim, conseguir fazer o bem?

· A resposta de Jesus: "Retira-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto"(4:10). Nada é bom se é errado, se viola as Escrituras.

· Lições: 1. Satanás paga o que for necessário. O diabo ofereceu tudo para "comprar" Jesus. Se houver um preço pelo qual você desobedecerá a Deus, pode esperar que o diabo virá pagá-lo. (Leia Mateus 16:26).

2. O diabo oferece atalhos. Ele oferece o mais fácil, o mais decisivo caminho ao poder e à vitória. Jesus recusou o atalho; Ele ganharia os reinos pelo modo que o Pai tinha determinado.

Hoje Satanás tenta as igrejas a usar atalhos para ganhar poder e converter pessoas. O caminho de Deus é converter ensinando o evangelho (Romanos 1:16). Exatamente como ele tentou Jesus para corromper sua missão e ganhar poder através de meios carnais, assim ele tenta nestes dias.
3. O diabo oferece compromissos por bons propósitos. Ele testa a profundeza de nossa pureza. Ele nos tenta a usar erradamente as Escrituras para apoiar um bom ponto ou dizer uma mentira de modo a atingir um bom resultado. Nunca é certo fazer o que é errado.


O ponto crucial é este: Jesus nunca fez o que ele sabia que não era certo. Que Deus nos ajude a seguir seus passos (1 Pedro 2:21).

Portal Teologia & Missões

About Portal Teologia & Missões -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :