"AO CONTRÁRIO DE MUITOS, NÃO NEGOCIAMOS A PALAVRA DE DEUS VISANDO A ALGUM LUCRO; ANTES, EM CRISTO FALAMOS DIANTE DE DEUS COM SINCERIDADE, COMO HOMENS ENVIADOS POR DEUS". 2 Coríntios 2. 17



sexta-feira, 22 de maio de 2009

*Esgotamento, Depressão / Espiritual e Ministerial

Esgotamento, exaustão, falência,
colapso, crise espiritual



Estamos percebendo, com a ajuda de nossos pastores, que esta condição está se mostrando cada vez mais presente em nosso meio pastoral e por que não dizer de nossas igrejas.


Homens e mulheres, jovens e adolescentes estão sofrendo calados dores que podem ser compartilhadas e grandemente aliviadas.


Quero então poder falar um pouco disso nesta oportunidade.

Do momento em que aceitamos ao Senhor Jesus como Salvador até o nosso último momento na terra... o percurso da nossa vida cristã deve ser de constante subida, mas às vezes se apresenta com pequenas decidas o que pode ser considerado normal, afinal de contas somos, humanos.


Deus tem nos chamado, nos desafiado a vivermos sempre em crescimento espiritual. Contudo, sabemos que isso nem sempre acontece.


Nem sempre estamos crescendo; antes, estamos estagnados ou até mesmo retrocedendo.


No entanto, Deus conhece a nossa estrutura, entende as nossas dificuldades, dúvidas. Ele nos entende porque Ele mesmo já passou por tudo o que passamos. “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecar.” Hb 4:15.


Três sintomas podem trazer esgotamento, exaustão, falência, colapso, crise espiritual.


Veja o texto, a história anterior você já conhece. “E Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito e como totalmente matara todos os profetas à espada. Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe:


Assim façam os deuses e outro tanto, se decerto amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles.” 1Rs 19:1,2.


O homem de Deus ouve um outro desafio, sendo que agora de Jezabel, só que ao invés de Elias enfrentar o desafio da rainha de Israel como o fizera com os profetas de Baal, toma a seguinte atitude. “O que vendo ele, se levantou, e, para escapar com vida, se foi, e veio a Berseba, que é de Judá, e deixou ali o seu moço.” 1 Rs 19:3.


Elias foge. Por quê? Porque está esgotado espiritualmente. Esta, portanto, é a primeira característica de alguém que está esgotado espiritualmente: Fuga. O homem de Deus vai a Berseba que é a cidade mais ao sul do reino do Sul; Judá, onde Jezabel não poderia encontrá-lo.


“Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.” 2 Tm 1: 7.


Deus não o tirou do mundo das trevas para que você esteja retrocedendo; contudo, o Senhor tem um chamado para avançarmos, progredirmos, caminharmos porque Ele é conosco e ainda que Jezabel e os 450 profetas de Baal levantem-se contra nós, Deus é conosco para nos livrar! “Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores.” Rm 8:31 e 37.


Deus é contigo! Não temas! O Senhor não pode usar covardes! Não podemos nos acovardar, não podemos ficar parados diante das circunstâncias, dos problemas, das tribulações, porque Deus está conosco! “E ele se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu em seu ânimo a morte e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que os meus pais.” 1Rs 19:4


A segunda característica é: Deseja a morte; não propriamente a morte física, mas a morte espiritual. Como?


Alguém esgotado espiritualmente pensa que a sua caminhada já acabou, que o seu ministério já chegou ao fim, que a obra que Deus tem para fazer na sua vida e aquilo que Ele quer já se concluiu.


Elias pensava que o seu ministério tinha acabado, mas não! Deus ainda tinha muitas coisas para o profeta fazer. Da mesma forma o Senhor nos diz que ainda quer realizar uma grande obra conosco.


Não pense que o seu chamado acabou, que a sua obra terminou que a sua chamada findou porque Deus lhe diz que não! Deus quer restaurar o seu ministério! Não faça como Elias que desejou a morte; antes, grande é o chamado que o Senhor ainda tem pra você. A plenitude de nosso ministério que não temos realizado será cobrada pelo Senhor. “Mas, se, quando vir que vem a espada, não tocar a trombeta, e não for avisado o povo; se a espada vier e levar uma vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniquidade, mas o seu sangue demandarei da mão do atalaia. A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel...” Ezequiel 33: 6,7


Desenvolva o seu ministério! Não pense que o seu lugar é apenas no banco da Igreja ouvindo a Palavra porque
não é! “...porque o jovem morrerá de cem anos...comerão o seu fruto” Is 65:20b ,21c.
Não ache que pela sua idade avançada, ou pelos problemas que tem passado e vivido, seu chamado acabou.


Por outro lado, não admita que pela sua pouca idade, o Senhor ainda não quer te usar. Deus definitivamente quer a todos: desde o maior até o menor, desde o mais velho ao mais moço. “E deitou-se e dormiu debaixo de um zimbro...” 1 Reis 19: 5ª.


A terceira característica é: Sono (dormir) O Senhor Jesus nos disse na parábola do trigo e do joio que enquanto os homens estavam dormindo (Mt 13:25), o inimigo (diabo) semeou o joio no meio do trigo.


O que significa dormir? Falta de vigilância. 1Pd 5:8. Quando não damos importância à casa do Senhor, à Palavra de Deus, não oramos, não jejuamos, não nos preocupamos com nossa intimidade e comunhão com Deus, o diabo nos ataca. Ele está sempre pronto para isso! Porém, se nós temos a nossa aliança com Deus intacta, o que é o diabo para nos tocar? Devemos fazer como Davi perante Golias. 1 Sm 17: 45


Por que Davi pôde fazer isso? Porque ele mantinha a sua perfeita aliança com o Senhor. Saul, que nessa época já havia sido rejeitado por Deus, não pôde enfrentar Golias. Teve medo! Contudo, Davi ungido pelo Espírito, pôde enfrentar o gigante Golias e o vencer porque Deus era com ele e da mesma forma o Senhor é conosco! Deus está contigo leitor!


Finalmente, as ordens que Deus nos dá:


Em resposta ao esgotamento espiritual de Elias, o Senhor lhe dá ordens.
“...e eis que, então, um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te...” 1Rs 19:5b
“E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo.” Ez 2:1


Toda vez que lemos na Bíblia, o Senhor mandando alguém se levantar é porque Ele quer que esta pessoa esteja na posição correta para ser usado.


Deus nos diz também para levantarmos e nos colocarmos na posição que Ele quer para nós. Se não temos mais lido a Palavra, se não temos mais buscado ao Senhor como antes, se não temos mais nos dedicado à oração, o Espírito do Senhor ministra ao nosso espírito: levante-se e coloque-se na posição que Eu quero para poder usá-lo(a) na minha obra. Levante-se!
“...e come.”1Rs 19:5c. A segunda ordem de Deus a Elias é comer. Mas comer o quê? A Palavra do Senhor.


A própria palavra nos manda que voltemos a comê-la. Deus ministra que tenhamos um conserto com a sua Lei.


Na história da Igreja, sempre que o povo de Deus redescobria a Bíblia, como consequência havia avivamento. Ao mesmo tempo em que nos afastamos dos mandamentos do Senhor, nos afastamos também dEle. No entanto, quando nos voltamos para a Palavra, quando a Igreja de Jesus retorna à Bíblia, Deus manifesta-se no meio do seu povo. Jo 17:17.


O senhor Jesus é a personificação da Palavra do Senhor. Definitivamente, Deus quer que voltemos à sua Palavra. Quanto tempo tem sido gasto com outras coisas que não a Lei de Deus!?


Elias foi a Horebe, o monte de Deus, mas ao invés de se colocar perante Ele, entrou em uma caverna. No entanto, Deus lhe perguntou: “Que fazes aqui, Elias?”


Caverna não é lugar de profeta, de atalaia, de filho de Deus! O Senhor lhe diz: “O que fazes na caverna? Vem para fora porque Eu ainda quero lhe usar!”. Saia da caverna do medo, dos problemas. Deus te chama! “Elias, vem para fora!” Coloque o seu nome no lugar do de Elias. Se você se sente como Elias, dizendo: Senhor, eu não tenho mais forças! Eu não consigo mais caminhar. Agora, eu só quero deitar e dormir.


Quero ir à Igreja apenas por uma religiosidade. Quero ir à Igreja apenas para ouvir a Palavra, somente para ouvir os louvores, mas sem compromisso com a obra de Deus. Se você tem estado na caverna, o Senhor ministra ao seu espírito: Saia da caverna e venha para fora!


Quero ainda desafiar você a buscar ajuda antes que as coisas fiquem mais sérias na sua vida no seu ministério e possa ser tarde. Desafio nossas igrejas assim que perceberem que seu pastor está entrando em ESGOTAMENTO, EXAUSTÃO, FALÊNCIA, COLAPSO, CRISE ESPIRITUAL, socorra-o o quanto antes, para que ele, sua família, a igreja não tenham grandes prejuízos, sejam eles de quaisquer natureza.

Pr. Carlos Eduardo Mello Babosa Presidente da MEAN


http://www.iceb.com.br/
.............................................................................................................................

A MÁGOA, O CÁRCERE DA ALMA

Nós sofremos mais por causa das pessoas do que por causa das circunstâncias. As pessoas nos fazem chorar mais do que as vicissitudes da vida. As pessoas nos decepcionam e nós decepcionamos as pessoas. Os relacionamentos dentro da família, no trabalho e até igreja, algumas vezes, se tornam tensos. Feridas são abertas na alma e mágoas profundas se instalam no coração. Amizades são rompidas, casamentos são abalados, relacionamentos sólidos entram em colapso.

Nesse processo, a comunicação é rompida, o silêncio gelado substitui as palavras de amor e a desconstrução da imagem do outro se torna uma verdadeira ação de desmonte.

O resultado do adoecimento das relações humanas é a mágoa. Esse sentimento de amargura se instala no solo do coração e lança suas raízes trazendo perturbação para a alma e contaminação para os que vivem ao redor. A mágoa é a ira congelada. A mágoa é o armazenamento do ressentimento. A mágoa é entulhar o coração com o rancor, é alimentar-se do absinto do ranço, é afogar-se no lodo do ódio, é viver prisioneiro na armadilha da vingança.

A mágoa é uma prisão. Ela é o cárcere da alma, o calabouço das emoções, a masmorra escura onde seus prisioneiros são atormentados pelos verdugos da consciência. Quem se alimenta da mágoa não tem paz. Não tem liberdade. Não tem alegria. Não conhece o amor. Não tem comunhão com Deus. Não pode adorar a Deus, nem trazer sua oferta ao altar. Quem retém o perdão não pode orar a Deus nem receber dele o perdão.

A mágoa é autodestrutiva. Ferimo-nos a nós mesmos quando nutrimos mágoa por alguém. Guardar mágoa no coração é como beber veneno pensando que o outro é quem vai morrer. Quem guarda mágoa no coração vive amarrado pelas grossas correntes da culpa. Quem vive nessa masmorra adoece emocional, física e espiritualmente. Há muitas pessoas doentes porque se recusaram a perdoar. Na igreja de Corinto havia pessoas fracas, outras doentes e algumas que já estavam mortas em virtude de relacionamentos adoecidos (1Co 11.3). 

Tiago ordena os crentes a confessarem seus pecados uns aos outros para serem curados (Tg 5.16). Há muitas pessoas vivendo cativas no calabouço do diabo, prisioneiras do ódio, acorrentadas pela mágoa, cuja vida espiritual está arruinada. Gente que precisa ser liberta dessa prisão existencial, desse cativeiro espiritual.

O salmista Davi orou pedindo a Deus para tirar a sua alma do cárcere (Sl 142.7). A chave que abre a porta dessa masmorra é o perdão. O perdão traz cura onde a mágoa gerou doença. O perdão traz reconciliação onde a mágoa gerou afastamento. O perdão traz alegria, onde a mágoa produziu tristeza e dor. O perdão restitui aquilo que a mágoa saqueou. O perdão é a faxina da mente, a assepsia da alma, a limpeza dos porões do coração. Perdoar é zerar a conta. É nunca mais lançar no rosto da pessoa a sua dívida. 

 Perdoar é lembrar sem sentir dor. Perdoar é não retaliar. É pagar o mal com o bem. É abençoar aqueles que nos amaldiçoaram. É fazer o bem àqueles que nos fizeram o mal. Perdoar é ser um vencedor, pois é vencer o inimigo não com a espada, mas com o amor. Perdoar é sair do cárcere da alma, é ser livre, é viver uma vida maiúscula, superlativa e abundante. Perdoar é viver como Jesus viveu, pois ele não retribuiu o mal com o mal, antes por seus algozes intercedeu. Perdoar é ter o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.

Chegou a hora de raiar a liberdade em sua vida. A Palavra de Deus liberta: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (Jo 8.32). Jesus Cristo liberta: "Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (Jo 8.36). É hora de sair do cárcere que prende a sua alma com as grossas algemas da mágoa. É hora de experimentar a liberdade do perdão. É hora de tomar posse da vida abundante que Jesus lhe oferece!

Rev. Hernandes D. Lopes
.............................................................................................................................

DECEPCIONADO  COM DEUS/ PHILIP YANCEY


.............................................................................................................................

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A DEPRESSÃO? COMO UM CRISTÃO PODE SUPERAR A DEPRESSÃO?



Pergunta: "O que a Bíblia diz sobre a depressão? Como um cristão pode superar a depressão?"

Resposta:A depressão é uma condição amplamente disseminada, afetando milhões de pessoas, cristãs e não-cristãs da mesma forma. Aqueles que sofrem de depressão podem experimentar sentimentos intensos de tristeza, raiva, falta de esperanças, fadiga e uma série de outros sintomas. Elas podem passar a se sentir inúteis e até mesmo suicidas, perdendo o interesse nas coisas e nas pessoas com quem antes se alegravam. A depressão é frequentemente desencadeada por circunstâncias de vida, como a perda de um emprego, a morte de um ente querido, divórcio ou problemas psicológicos como a baixa auto-estima e problemas causados pelo abuso.

A Bíblia nos diz para sermos cheios de alegria e louvor (Filipenses 4:4; Romanos 15:11), então Deus aparentemente quer que todos nós vivamos vidas alegres. Isso não é fácil para alguém sofrendo de uma depressão causada por alguma situação, mas pode ser remediado através dos dons de Deus de oração, estudo e aplicação da Bíblia, grupos de apoio, grupos domésticos, comunhão entre os crentes, confissão, perdão e aconselhamento. Nós devemos fazer o esforço consciente para não sermos absorvidos por nós mesmos, e ao invés disso colocarmos nossos esforços para fora. Sentimentos de depressão freqüentemente podem ser resolvidos quando o sofredor tira o foco de si próprio e o põe em Cristo e nos outros.

A depressão clínica é uma condição física que deve ser diagnosticada por um médico. Ela não é causada por circunstâncias desafortunadas da vida, e os sintomas não podem ser aliviados pela vontade própria. Ao contrário do que alguns da comunidade cristã acreditam, a depressão clínica nem sempre é causada pelo pecado. A depressão pode às vezes ser um distúrbio que precisa ser tratado com medicação e/ou aconselhamento. É claro, Deus é capaz de curar qualquer doença ou distúrbio. No entanto, em alguns casos, ver um médico por causa de depressão não é diferente de ver um médico por causa de um machucado.

Existem algumas coisas que aqueles que sofrem de depressão podem fazer para aliviar a sua ansiedade. Eles devem se certificar de que estão permanecendo na Palavra, mesmo quando não sentem vontade. As emoções podem nos desviar do caminho, mas a Palavra de Deus permanece firme e imutável. Nós devemos manter forte a fé em Deus, e nos aproximarmos dEle ainda mais quando sofremos provas e tentações. A Bíblia nos diz que Deus jamais permitirá que sejamos tentados além do que possamos suportar (1 Coríntios 10:13). Apesar de estar deprimido não ser um pecado, uma pessoa ainda é responsável pela forma como responde à aflição, incluindo a busca pela ajuda profissional de que precisa. “Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome” (Hebreus 13:15).



DEVE UM CRISTÃO IR AO PSICOLOGISTA / PSIQUIATRA?

 Pergunta: "Deve um Cristão ver um psicologista/psiquiatra?"

Resposta:A questão de se um Cristão deve procurar ajuda de um psicologista ou psiquiatra para superar doença mental está se tornando mais e mais popular. São muitos os psicologistas Cristãos, psiquiatras e conselheiros, e Cristãos estão regularmente recebendo ajuda para doenças mentais, principalmente para depressão e ansiedade. Devido a alguns incidentes registrados nas Escrituras que lidam com sintomas que são semelhantes às doenças mentais de hoje em dia, muitos Cristãos acham que todos os problemas psicológicos são causados por demônios. No entanto, não há como saber se essas pessoas eram realmente doentes mentais no sentido de hoje em dia, ou se isso é ou não relevante. O problema é que há uma grande variedade de problemas psicológicos, alguns sendo emocionais, outros sendo físicos, mas todos têm em si um fator espiritual.

Um estilo de vida pecaminoso pode ser uma causa de depressão e ansiedade. No caso de um verdadeiro seguidor de Cristo, a pessoa precisa perceber que Deus quer que confessem seus pecados, arrependam-se, e voltem-se a Ele. A Bíblia nos diz que Satanás tem um grande poder de influência sobre as pessoas (2 Coríntios 4:4). É mais fácil obedecer a Satanás do que a Deus, porque Satanás quer que alimentemos a natureza pecaminosa que todos nós já possuímos. Neste sentido, uma pessoa mentalmente doente pode ser influenciada por demônios. No entanto, é importante lembrar que Cristãos não podem ser possuídos por demônios ou tentados além do que podem aguentar (1 Coríntios 10:13). Isso é porque os crentes são habitados pelo Espírito de Deus (Romanos 8:9-11), e o templo do Espírito Santo não vai compartilhar seu território com demônios.

Uma outra coisa que as pessoas geralmente não levam em consideração é que Deus permitiu com que a humanidade desenvolvesse e criasse muitos tipos diferentes de remédios para curar. Se uma pessoa tem uma verdadeira doença mental causada por desequilíbrio hormonal ou químico no cérebro, então medicação talvez seja necessária. Isso não é diferente de ir ao médico e tomar remédio para um problema de tireóide, diabetes ou qualquer outro tipo de doença física. Isso não quer dizer que Deus não possa curar milagrosamente, porque Ele pode. Mas Ele nem sempre intervém dessa forma.

Quer ou não usar medicação seja ok é uma decisão pessoal. Isso é uma questão da consciência porque a Bíblia não trata desse assunto especificamente. Algumas coisas a serem consideradas são: O meu comportamento afeta outros, especialmente minha família? A minha doença está me causando a ser desobediente a Deus e rejeitando o trabalho do Espírito Santo através de mim? O meu testemunho para Cristo está sofrendo por causa dessa deficiência? Se uma pessoa sabe que está doente, mas recusa-se a procurar ajuda por motivos egoístas, isso é um pecado. Se tomar medicação para doenças cerebrais é completamente contra às crenças dessa pessoa, e se essa pessoa já orou e meditou na Palavra de Deus, então ela deve discutir quaisquer alternativas com seu médico e pastor.

Não é um pecado tomar remédios que sejam necessários ou ver um psiquiatra. Isso não mostra falta de fé em Deus, apesar de que sempre devemos buscar a Ele primeiro para alcançar cura e direção. Ele quer estar em controle de todas as partes de nossas vidas, e devemos nos sentir livres para levar nossos problemas a Ele em oração para todas as circunstâncias e situações. Ele frequentemente usa medicações e terapeutas para curar Seus filhos. Ver um conselheiro ou psiquiatra Cristão, no entanto, é definitivamente melhor do que um terapeuta secular, o qual vai aconselhar de um ponto de vista desse mundo, ao invés de um ponto de vista bíblico. Que as palavras de Davi nos encorajem: "Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos. E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR" (Salmo 40:2-3).


O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A IRA?

Pergunta: "O que a Bíblia diz sobre a ira?"

Resposta:Lidar com a ira é um tópico muito importante. Um conselheiro experiente disse que 50% das pessoas que vieram ao seu consultório para aconselhamento tinham problemas com ira. Ela pode destruir a comunicação e acabar com relacionamentos, além de arruinar a alegria e saúde de muitos. É muito comum que pessoas tentem justificar sua ira, ao invés de aceitar a responsabilidade por seu comportamento. Há um tipo de ira que a Bíblia chama de indignação justa, mas ela não deve ser confundida com a ira da qual estamos falando aqui.

Em primeiro lugar, ira nem sempre é um pecado. Deus é raivoso (Salmo 7:11; Marcos 3:5), e os crentes são comandados a se irarem (Efésios 4:26). Duas palavras gregas são usadas no Novo Testamento para a nossa palavra “ira”. Uma (orge) significa “paixão, energia”; a outra (thumos) significa “agitado, fervendo”. O dicionário Webster define a ira como “emoção excessiva, paixão despertada por um sentimento de injustiça ou erro”; essa injustiça pode ter sido contra nós ou outra pessoa. Biblicamente falando, a ira é uma energia dada por Deus para nos ajudar a resolver problemas. Exemplos de ira bíblica incluem Paulo confrontando Pedro por causa de seu mau exemplo em Gálatas 2:11-14, Davi estando chateado ao escutar o profeta Natã narrando sua injustiça (2 Samuel 12) e Jesus ficando irado pela forma em que alguns judeus tinham difamado o louvor no templo de Deus em Jerusalém (João 2:13-18). Note que nenhum desses exemplos de ira envolveram auto-defesa, mas defesa de outras pessoas ou de um princípio.

No entanto, a ira se torna um pecado quando é causada por motivos egoístas (Tiago 1:20), quando o objetivo de Deus é destorcido (1 Coríntios 10:31), ou quando a ira permanece por muito tempo (Efésios 4:26-27). Ao invés de usar a energia gerada pela ira para atacar o problema em mão, a pessoa é que acaba sendo atacada. Efésios 4:15, 19 diz que devemos falar a verdade em amor e crescer em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, e não permitir com que palavras insensíveis ou destrutivas saiam de nossas bocas. 

 Infelizmente, esse falar venenoso é uma característica comum do homem pecador (Romanos 3:13-14). A ira se torna um pecado quando permitimos com que transborde sem limites, resultando em um cenário no qual todos presentes se machucam (Provérbios 29:11), devastando tudo e todos, com consequências irreparáveis. A ira também se torna um pecado quando o que está irado se recusa a se acalmar, e acaba guardando rancor ou mágoas dentro de si (Efésios 4:26-27). Isso pode causar depressão e irritabilidade com qualquer coisinha, geralmente com coisas que não tinham nada a ver com o problema original.

Podemos lidar com a ira de uma forma bíblica:
1) Ao reconhecer e admitir que nossa ira e a forma na qual lidamos com ela são egoístas (Provérbios 28:13; 1 João 1:9). Essa confissão deve ser a Deus e àqueles que se machucaram como resultado de nossa ira. Não devemos minimizar esse pecado e dizer que “as coisas esquentaram um pouco o outro dia” ou ao tentar transferir a culpa: “bem, se você não tivesse agido do jeito que agiu...”

2) Ao ver que Deus tem controle sobre tudo. Isso é de grande importância especialmente quando outras pessoas fizeram algo para nos ofender especificamente. Tiago 1:2-4; Romanos 8:28-29 e Gênesis 50:20 apontam ao fato de que Deus é soberano e em total controle sobre TODAS as circunstâncias e pessoas que cruzam nosso caminho. Nada acontece conosco que Ele não permite. E assim como todos esses versículos ensinam, Deus é um Deus BOM (Salmo 145:8,9,17) que faz coisas boas e usa todas as coisas em nossas vidas para o nosso bem e para o bem daqueles que estão ao nosso redor! Refletir nessa verdade até que penetre nossas cabeças e corações vai influenciar como reagimos com aqueles que nos machucaram muito.

3) Ao dar espaço para a ira de Deus. Isso é especialmente importante em casos de injustiça, especialmente quando executados por homens “malignos” a pessoas “inocentes”. Gênesis 50:19 e Romanos 12:19 nos dizem que não devemos fazer o papel de Deus. Deus é correto e justo, e podemos confiar que Aquele que conhece tudo e vê tudo vai agir justamente (Gênesis 18:25).

4) Ao não retornar mal ao invés do bem (Gênesis 50:21; Romanos 12:21). Isso é de grande importância para converter nossa ira em amor. Assim como as nossas ações se originam em nossos corações, assim também nossos corações podem ser alterados por nossas ações (Mateus 5:43-48). Isso quer dizer que podemos mudar nossos sentimentos em relação a uma pessoa ao mudar como escolhemos agir ao redor dessa pessoa.

5) Ao escolher se comunicar bem para resolver o problema. Há quatro regras básicas para comunicação, de acordo com Efésios 4:15,25-32:

a) Seja honesto no seu falar (Efésios 4:15,25). As pessoas não podem ler nossas mentes. Fale a verdade EM AMOR.

b) Não acumule (Efésios 4:26-27). Não devemos permitir que o que está nos incomodando acumule até que finalmente perdemos o controle. Compartilhar e lidar com o que está nos incomodando antes de chegar a esse ponto é muito importante.

c) Ataque o problema, não a pessoa (Efésios 4:29,31). Devemos manter o volume de nossa voz baixo (Provérbios 15:1). Gritaria é geralmente considerada uma forma de ataque.

d) Aja, não reaja (Efésios 4:31-32). Por causa de nossa natureza pecaminosa, nosso primeiro impulso é geralmente pecaminoso (verso 31). O tempo que passamos “contando até dez” deve ser usado para refletir em uma resposta que agrada a Deus (verso 32) e para nos lembrar que a ira deve ser usada para resolver problemas, não para criar outros problemas maiores.

6) Em último lugar, devemos fazer a nossa parte para resolver o problema (Atos 12:18). Não podemos controlar como outras pessoas vão responder, mas podemos cuidar do que deve ser mudado da nossa parte. Superar um temperamento explosivo não vai acontecer da noite para o dia. No entanto, através de orações, estudos Bíblicos e dependência do Espírito Santo de Deus, podemos ter vitória. Assim como talvez nós deixamos com que a ira fizesse parte de nossas vidas através de prática habitual, também precisamos praticar responder da forma correta até que se torne um novo hábito que substitui os velhos hábitos. Leia a seguir alguns versículos do livro de Provérbios que lidam com o tópico da ira:

6:34 - ... porque o ciúme enfurece ao marido, que de maneira nenhuma poupará no dia da vingança.
14:17 - Quem facilmente se ira fará doidices; mas o homem discreto é paciente.
14:29 - Quem é tardio em irar-se é grande em entendimento; mas o que é de ânimo precipitado exalta a loucura.
15:1 - A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
15:18 - O homem iracundo suscita contendas; mas o longânimo apazigua a luta.
16:32 - Melhor é o longânimo do que o valente; e o que domina o seu espírito do que o que toma uma cidade.
19:11 - A discrição do homem fá-lo tardio em irar-se; e sua glória está em esquecer ofensas.
19:19 - Homem de grande ira tem de sofrer o castigo; porque se o livrares, terás de o fazer de novo.
22:24,25 - Não faças amizade com o iracundo; nem andes com o homem colérico; para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma.
27:4 - Cruel é o furor, e impetuosa é a ira; mas quem pode resistir à inveja?
29:8 - Os escarnecedores abrasam a cidade; mas os sábios desviam a ira.
29:22 - O homem iracundo levanta contendas, e o furioso multiplica as transgressões.


Leia mais:http://www.gotquestions.org/Portugues

DEPRESSÃO / HERNANDES DIAS LOPES




.............................................................................................................................
LIDANDO COM A FRUSTRAÇÃO Is 53

Nenhum comentário:

Postar um comentário

500 ANOS DA REFORMA

500 ANOS DA REFORMA

Postagens populares

.

E SE FOSSE VOCÊ?

E SE FOSSE VOCÊ?

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!
Você deseja honrar o corpo de Cristo? Não o ignore quando ele está nu. Não o homenageie no templo vestido com seda quando o negligencia do lado de fora, onde ele está malvestido e passando frio. Ele que disse "Este é o meu corpo" é o mesmo que diz "Tu me vistes faminto e não me destes comida" e «quantas vezes o fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes» (Mateus 25:40)... Que importa se a mesa eucarística está lotada de cálices de ouro quando seu irmão está morrendo de fome? Comeces satisfazendo a fome dele e, depois, com o que sobrar, poderás adornar também o altar.

João Crisóstomo, Comentário sobre Mateus

♛ Uma das características mais recorrentes das homilias de João Crisóstomo (347-407) é sua ênfase no cuidado com os necessitados. Ecoando temas do Evangelho de Mateus, ele exorta os ricos a abandonarem o materialismo para ajudar os pobres, empregando todas as suas habilidades retóricas para envergonhar os ricos e obrigá-los a abandonar o consumismo mais conspícuo:


“Honras de tal forma teus excrementos a ponto de recebê-los em vasilhas de prata quando outro homem criado à imagem de Deus está morrendo de frio?”


— João Crisóstomo